Debate entre candidatos à lista tríplice para ProcuradorGeral da República RJ 562019

halesson senhores metade queria pedir que os candidatos fazer um teste sentando à mesa para que a gente possa ver ae o pessoal boa tarde a todos ea todas queria pedir a ajuda de todos para que a gente possa sentar à mesa que vence de fato todos estão devidamente acomodados tudo bem se tiver proposta logo na subida e aí todos sentados vamos fazer um teste aqui pra ver se não há justiça senhoras e senhores boa tarde a todos queria pedir licença a todos para que a gente possa dar início ao nosso evento senhoras e senhores boa tarde dentro de instantes daremos início ao debate desta tarde agradecemos a gentileza de tomarem seus assentos e manterem os celulares desligados ou em modo silencioso está começando agora o quarto debate entre os candidatos à lista tríplice para procurador geral da república em nome da classe gostaria de agradecer aos membros do mpf que aqui se encontram presentes pela disposição em participar deste evento aos colegas das duas instâncias que aqui se encontram para acompanhar os senhores da imprensa senhoras e senhores lembro que inúmeros colegas nos acompanham neste momento pelas redes sociais da empresa r eo youtube facebook e twitter a ordem da mesa foi definida mediante sorteio prévio realizado agora há pouco entre os candidatos e ela foi exatamente colocada na ordem como os senhores acompanham neste momento número 1 do torneio josé bonifácio número dois do tônico de freitas número 3 a doutora luiza cristina número quatro do outro lado cardozo número 5 do torneio josé robalinho cavalcanti número 6 do torneio gonzaga número 7 do torneio da lu número 8 do total bueno número 9 do touro admin áreas o doutor antónio fonseca justificadamente não pôde comparecer a este evento vamos agora para que todos tenham ciência explicar as regras do nosso debate o encontro terá a duração estimada de duas horas e meia esses será dividido em quatro blocos no bloco inicial a npr e escolher a uma pergunta sobre a temática da região sudeste outras duas questões serão sorteadas dentre aquelas que forem elaboradas pelos presentes por escrito a gente pede que todos que se encontram no recinto possam formular perguntas esse sorteio será feito na sequência do debate para que portanto mais duas perguntas sejam submetidas a resposta de todos no segundo bloco ocorrer a pergunta direta entre os candidatos cada candidato terá 30 segundos para fazer uma pergunta mediante sorteio um outro candidato ou candidata responderá em dois minutos temos na sequência réplica e tréplica no terceiro bloco cada candidato responderá a uma pergunta sorteada dentre mais de sua centena que foram enviadas de colegas que nos acompanham de todo o país e sorteio será feito inclusive aqui sobre acompanhamento de todos por fim no último bloco cada candidato terá 3 minutos para dar uma mensagem final as suas considerações finais a ordem de resposta dos candidatos em cada pergunta obedecer a um rodízio de maneira que o primeiro candidato que se encontra mais à direita doutor josé bonifácio responder à primeira pergunta ea segunda pergunta será respondida na seqüência pelo do nível de freitas e assim sucessivamente para garantir a diversidade do processo perguntas similares foram aglutinadas durante este debate também será respondido apenas uma pergunta de cada colega existem colegas que encaminharam 10 15 20 perguntas de uma vez para garantir a pluralidade não apenas no sorteio mas nas questões que serão respondidas o colega quando tiver a primeira pergunta sorteada fica impedido de ter uma nova pergunta lida neste evento podendo as outras perguntas seguirem para serem sorteadas nos últimos dois debates que serão realizados no dia 11 em porto alegre no dia 14 em brasília daremos início agora a primeira parte do debate com a primeira pergunta relativa região sudeste é representada hoje pelo estado do rio de janeiro que será feita pelo empenho ea partir de alguma atuação de destaque e nós resolvemos fazer a pergunta sobre a atuação dos colegas da local e da regional na operação lava jato a pergunta que deve ser respondida em dois minutos por todos os candidatos é muito simples considerando a atuação da lava jato no estado do rio de janeiro nos últimos três anos numa articulação muito bem feita entre os colegas que atuam na unidade local e na unidade regional com repercussão e resultados significativos cito alguns mais de 4 bilhões de pedidos de reparação mais de 500 milhões ressarcidos dezenas de acordo de colaboração feitos mais de 40 condenados e penas que no total somam acima de seiscentos e sessenta e cinco anos o que o candidato ou a candidata entende dessa atuação e de que maneira deseja ou pretende apoiar se acaso venha a assumir a posição de procurador ou de procurador geral da república com a palavra para responder inicialmente o doutor josé bonifácio obrigado presidente prudente é o trabalho da lava jato notadamente aqui no rio de janeiro já é de conhecimento notório de todos na mídia no brasil inteiro todo mundo já sabemos a excelência do trabalho a notoriedade de trabalho ea eficiência com que as equipes trabalham no meu estilo não é de trazer soluções prontas o meu estilo é como já tenho dito em outras ocasiões é de apoiar de ajudar digamos assim é suplementar a atividade na medida em que a unidade de ponta demanda algum apoio eu confio nos colegas que estão naquela instância nos colegas que estão na linha de frente dos colegas que estão atuando tá é o meu estilo é de respeitar a liberdade e principalmente o princípio da an a independência funcional para mim é muito caro tá é no sentido de respeitar a liberdade e as iniciativas e na medida em que os colegas sugerem providências pedem ajuda e pedem apoio então apoiamos e ajudamos na medida da demanda que vem eu não tenho soluções prévias não tem soluções prontas e mais eu não tenho a experiência que os colegas têm de modo que eu tenho que contar com a experiência deles tem contar com a expertise deles e tenho que apoiar segunda demanda que é feita na medida em que é feita a demanda é assim presente que eu acho que se deve agir um procurador geral mas ganhou de presente o segundo o candidato respondeu o doutor nível de freitas boa tarde a todos né não posso me furtar de falar da minha alegria de estar aqui vendo colegas meu amigo de tantos anos colegas procuradores regionais da república da república colegas servidores é realmente pra mim é uma grande alegria e inclusive hoje vou poder visitar minha família né o que é muito bom e olha eu queria falar eu me prontifiquei lá no núcleo com outros colegas nem eu não entrego um grupo que atua no processo da lava jato perante o stj e tem muito orgulho de de atuar no entender dele lá não entendiam e em sintonia com os colegas que que tenha sua atuação no primeiro e segundo grau o aquino especificamente no rio de janeiro o evento por causa do ex presidente michel temer nem estive reunido esta semana com os colegas aqui no lava jato e e tem profundo orgulho nem aquele é o diferente é diferencial nosso melhor temos assim um profundo orgulho de ações análise profunda o orgulho do trabalho desenvolvido pelos colegas do rio de janeiro finalmente começou a se estranhar o problema de corrupção e um esquema de cooptação que nós sempre tivemos aquele estado por isso não estamos nessa situação é anos vivendo a situação crítica na graça atuação dos colegas principalmente os colegas aqui do da lava jato no primeiro no segundo grau a gente vive finalmente expectativa de reverter uma situação com a atuação dos colegas em cruzmaltina vibrante eficaz e sim o menor suporte né eles realmente é fazer um trabalho maravilhoso com o mínimo de estrutura de suporte de pessoal e equipamento nela minha meu compromisso é que priorizar a atuação das forças tarefas nem é tanto no principalmente - nos casos de corrupção organizações criminosas aproveitar todas espertinhos que vem sendo construída com muito sacrifício não é para que isso seja é todo esse background seja aproveitado em operações de caráter nacional meu tempo a sua palavra a doutora luiza cristina bomba tarde a todos ea todas é a força tarefa aqui no rio de janeiro eu acho que ela faz um trabalho excepcional no que nós chamamos de lava jato é nesse método de trabalho que conta é com a cooperação internacional com a com a lei é de combate ao crime organizado com a colaboração choque no rio de janeiro nós temos um eu diria uma dimensão que foi a corrupção em praticamente é em todos os setores da administração pública é nos órgãos de fiscalização também e a pé e vivenciado com as verbas anteriores mais de dois grandes eventos né na questão das olimpíadas como da copa do mundo e as construções na cidade e todas essas construções estavam envolvidas em desvios é isso um plano a gente sabe que o governador o ex governador hoje prêmio sérgio cabral ele planejou isso com o determinadas pessoas da sua administração que também estão presos e faço isso com conhecimento de causa porque trabalho exatamente no acompanhamento é dos habeas corpus da lava jato e dos recursos que já estão chegando no superior tribunal de justiça o que nós temos que avançar o que podemos fazer é como procurador geral da república bom primeiro é que a parte recursal e aqui a gente tem uma característica forte a prf atua tanto na matéria originária 90 deputados estaduais quanto na matéria recursal mas isso chega ao stj e ao gabinete da pgj portanto essa ligação esse diálogo tem que dar mais quatro instâncias e precisamos reforçar a parte técnica é da lava jato rio de janeiro a lava jato do rio de janeiro precisa de apoio é da pgr na parte é demais servidores de mais recursos para continuar sua é sua atuação a sua investigação que aqui envolve o grande financiamento também de parte dessa corrupção porque aqui nós temos operações envolvendo os grandes goleiros que são os financiamento é um dos financiadores desse esquema financeiro paralelo então nesse momento eu acho que é são essas considerações brigada de passar a palavra doutor lauro cardoso queria só registrar que os colegas que quiserem fazer perguntas por escrito a clara daqui a pouco vai passar recolhendo para um sorteio será realizado daqui a pouco e já chegou uma mesa mas a gente tem tempo pra isso passo a palavra então o doutor lauro cardoso no que diz respeito à operação lava-jato ela tanto tem orgulhado ministério público federal e que deve ter todos os procedimentos toda expertise adquirida nesse processo de investigação deve ser disseminado por todas unidades especificamente no rio de janeiro que me parece que o procurador geral da república pode atuar principalmente no fortalecimento das suas estruturas administrativas com reforço de cargos efetivos servidores funções o investimento em tecnologia aplicada à investigação aplicada à atividade fim então os colegas muitas vezes têm obtido novas ferramentas de investigação a partir dos acordos celebrados mas por vezes o próprio ministério federal tenha adquirido ferramentas como big data e outros o desenvolvido ferramentas de investigação sem ouvir os colegas que atuam diretamente nas investigações também parece que é um outro caminho importante que haja uma uma participação direta dos colegas com expertise de investigação na aquisição dessas ferramentas pelo ministério público federal nós temos que falar aqui da atuação do procurador geral da república junto ao supremo então nós temos aí vários ferramentas e várias é dizer sim caminhos processuais que são adotados antes brinca chamas hcs cangurus que estão chegando ao supremo e nós precisamos ter uma atuação vigilância do procurador geral da república em um diálogo institucional de forma que a gente faça efetivamente uma articulação entre as estâncias de atuação não só nas regionais stj e o supremo tribunal federal eo procurador geral da república também deve cuidar para que aproveitando a experiência da lava jato ele firme a o protagonismo da instituição os acordos de leniência e de colaboração premiada seja por modificar a posição institucionais ou mesmo com proposições legislativas para que isso ocorra com a palavra o doutor josé robalinho cavalcanti boa tarde a todos já no rio de janeiro nessa nessa jornada nossa agradeço a todos a cair naquela oportunidade a chance que tive que conversar comecei com lava jato no rio de janeiro conversei com os colegas da pmrj da 5ª regional foi uma honra e é uma honra de novo está com vocês a lava jato é o ponto em que nós conseguimos alterar o rumo do brasil ou mudá pelo menos da persecução criminal no brasil e nós não podemos abandoná lo eu acho que o primeiro ponto além do discorda e nada foi falado aqui desde do bonifácio até o lauro eu queria dizer que o primeiro papel do procurador geral além de prover as condições da lava jato e coordenar lava jato é defender a loja eu como presidente da fpr tive a oportunidade de escrever cartas abertas campeã em desfavor do ministro gilmar mendes quando apagou a lava jato no rio de janeiro tive oportunidade de promover movimentos contrários à própria procuradora geral quando atacou pouco a e abrir uma exceção na dpf do governo em curitiba então eu acho que a gente tem que ter muita consciência de quem é que tem esse compromisso tocou esse compromisso sumido será assumido por mim continuidade defender lava jato e entre o que quer que seja a coordenação condições de trabalho mas quando as conversas que eu tive com o lava-jato as principais reclamações são daqui do rio de janeiro são como disso lauro de falta de coelho e aparelhamento a o rio de janeiro inteiro sofre de falta de técnicos tem que ser corrigido a questão dos instrumentos de investigação nós precisamos urgentemente tá lá as ferramentas tecnológicas que nós temos serem multiplicadas o nosso big data está engajado precisa ser resolvido essa questão precisa ser acentuado fornecidos os shoppings e as condições e o que eu me comprometo é a dar todas as condições de trabalho para que a lava jatos as lava jatos todas continue e com total apoio da procuradora do procurador acabou o tempo só porque é só porque eu não viu o início mas de toda forma o recado está dado agradeço agradeço a todos tá continuaremos aqui junto no ano no resto do debate a lava jato contará comigo procurador geral como sempre contou com doutor josé robalinho já ganhou cinco segundos para a próxima pergunta é perder no sentido de reduzir do mário gonzaga alô alô boa tarde a todos ea todos é um prazer grande retornar aqui a 11 de janeiro e até r 2 para participar deste debate sobre a lava jato rio de janeiro tive oportunidade não tendo o tapa no trono foi momento só não vou só não está funcionando mas tava bom se dá para escutar foi dado início a iniciar boa tarde a todos em todos é uma satisfação retornar aqui até r 2 é sobre a lava jato rio de janeiro onde se pode dizer desde logo é que tem feito um trabalho extraordinário eu tive a oportunidade semana passada e me reunir com os colegas e me inteirar melhor da situação concreta é da atuação da lava jato é no tocante à sua estrutura material e pude testemunhar é o quanto estão é se esforçando é é carente de de apoios básicos penso que é esse assunto para ser resolvido é pelo o procurador geral da república se até lá não for a cessão de alguns servidores é para atender a demanda solicitada muito é importante eu destaco o trabalho da lava jato do rio de janeiro o fato de ter em curso o nado na área estadual é investigando em última análise desfalques ao patrimônio público estadual isso aqui no rio de janeiro país corria solta muito tempo e foi a ação do mpf foi dava jato e trouxe mudanças importantes a lavar a a estrutura de força tarefa se mostrou muito exitosa a partir da experiência é sobretudo mais recente da força-tarefa de curitiba é uma experiência portanto que tem se propagado no âmbito do ministério federal é inclusive na área da tutela coletiva temos a força tarefa amazônia por exemplo mas não basta criar forças tarefas sem dá a devida estrutura e isso tem se tornado muito freqüente é importante que haja estrutura para cumprimento é do da missão de cada força tarefa é seu procurador geral da república é convidar os colegas de forças tarefas para a reunião de caráter administrativo nada a ver com as investigações e se mais com as demandas e estrutura que existam servidores apoio policial apoio da estréia para que possam ser equacionados da melhor maneira possível e muito obrigado com a palavra o doblô da lua é boa tarde a todos e todas sinto em casa sinto-me literalmente é é a junto com a minha família está aqui é querer dizer sobre a lava jato na minha primeira seção do trf 2 tivemos um discurso do desembargador paulo espírito santo contra lava jato e eu não disse amém rebate mostrei trabalha lava jato e ouvir feliz o desembargador pedir desculpas pelas considerações que ele tinha feito sobre trabalho junho de 2016 começa lava jato acho que vocês vocês que estão aqui não tinha nem idéia do que aquela rádio radioatividade que foi a primeira operação iria expandir de forma tamanho hoje 49 operações constam do site o trabalho intenso um trabalho que vocês se dedicam mesmo a companhia alguns trabalhos com vocês é um trabalho que o procurador geral da república tem que acompanhar muito de perto acompanhar para dar apoio para dar todo apoio que o gt lava jato do ibge precisa ser aprimorado a primeira coisa nova já curitiba são paulo e vocês vão indicar um membro para compor o gt do pgr mas essa ponte vai existir sempre precisa ter integração atuação do supremo atuação dos tribunais superiores atuação do trf já tem temos colegas fantástico estamos aqui léo por exemplo é que faz parte da a equipe e que mostra isso que nós precisamos integrar os três graus a lava jato evoluir falta estrutura mesmo como disse chegamos juntos em junho de 2016 a lava jato de curitiba já tinha seus dois anos conseguimos estruturar lava-jato curitiba já tem curitiba de 56 e 4 transformadas para aquela operação trabalha com isso porque eu fui lá e sentir realmente como é que ele trabalhava em um lava jato do rio chegou já esta época três anos de trabalho completados este mês precisa estruturar software é na tecnologia e dot sabe muito bem o que é isso vai ajudar muito então vamos dar tudo isso é um trabalho sério e discreto e eficiente admirável então nós temos que estar junto eu fico feliz de ver que seja qual for o pgr vocês terão isso é fundamental pra vocês pra todas as forças-tarefas força tarefa para todos aqueles que ficam 24 horas no ar me trabalhando pelo ministério público federal assegura pra vocês câmbio não desligo com a palavra do total bueno bom lugar a grande satisfação estar aqui no rio de janeiro na cidade é tão linda né eu nunca trabalhei aqui mas eu acompanhei em 1988 acompanhei a polícia federal numa investigação dá aquele caso banespa acho que talvez ninguém se lembra né vocês são muito novos e naquela época clara outro ministério público nós tínhamos era é completamente desprovida de meios materiais não foi sozinho naquele caso não havia não havia ainda o conceito de força tarefa de uma tecnologia completamente diferente da de hoje mas enfim eu acompanhei toda a evolução do ministério nesses últimos 30 anos não faz 37 anos que eu ingressei no ministério público é é a força tarefa no rio de janeiro como em curitiba e com isso volta a fazer um trabalho excepcional realmente eu acho que nada mais evidente do que eu a procuradoria-geral da todo o apoio possível no entanto temos materiais termos de pessoal em termos de tecnologia do tamanho desenvolvimento desse trabalho mas assim eu indicaria mais algumas coisas que podem ser feitas primeiro o seguinte nós somos uma instituição nacional e eu acho que seria interessante haver uma troca de experiência dos lava-jatos né curitiba são paulo rio de janeiro algumas reuniões é periódica vamos assim talvez possa trazer alguns ganhos há mais nem pode se cortar algumas etapas pode evitar alguns erros isso talvez seja uma coisa interessante outra coisa logicamente atuação do pgr junto ao stf que também é importante isso é a capitã a manutenção vamos assim né de uma política constante na defesa da lava rápido e finalmente o que talvez até seja até mais importante é cobrar agilidade do poder judiciário isso eu acho que o grupo está faltando muito aqui é o seguinte o poder judiciário tem que agir nós estamos agindo bem a polícia federal está agindo bem agora o judiciário que não anda a coisa tá então acho que é por aí cobrar mais agilidade antes de passar a palavra doutor vladimir aras que vai encerrar essa rodada inicial eu queria pedir para os colegas que já formularam perguntas que fizessem chegar à mesa porque daqui a pouco a gente vai realizar o sorteio com a palavra doutor vladimir aras muito boa muito boa tarde a todo o comprimento nossa anfitriã dos colegas é da equipe que organiza um debate é a história da força-tarefa falava 0 no rio de janeiro história de êxitos na luta contra o capitalismo predatório e contra a má política uma política que hoy por hoy corrompe uma polícia que destrói aquilo que é possível fazer em prol dos cidadãos então os colegas tem todos os méritos esses méritos são reconhecidos não só internamente mas em prêmios nacionais em prêmios internacionais pelas boas práticas que implementaram e continua a implementar especialmente na recuperação de ativos na destinação é de valores inclusive para pagar aquilo que era devido aos cidadãos rio de janeiro servidores públicos pensionistas com recomposição ou a composição do património institucional para investigação como foi feito por idéia de vocês e eduardo na aquisição de licenças de software é importante para a investigação tecnológica cabe portanto ao procurador-geral da república incrementar o que vinha sendo feito na gestão anterior e o que de algum modo vem sendo feito ainda ainda que de forma claudicante nesta gestão no tocante ao pessoal a equipe de apoio aos procuradores no tocante ao incremento do parque tecnológico para que haja maior eficiência na investigação no que diz respeito à melhoria da coordenação tanto horizontal quanto com as outras forças tarefas enquanto o plano vertical e também para defesa institucional um ponto muito importante no qual lento com a defesa institucional e não a exposição institucional pela própria instituição dos procuradores e procuradores que trabalham num dos casos mais importantes na luta contra a corrupção não só neste país mais uma o continente então reforçar os importantes pilares para que nós tenhamos mais integridade uma política mais limpa e uma sociedade mais justa a gente encerra aqui a primeira rodada e vou pedir a ajuda da clara para nos trazer as perguntas e já foram coletadas mas algo nós temos quatro pra sortear duas vou pedir a guarda do lado direito do lado esquerdo para que a gente possa sortear uma uma delas é a primeira pergunta que será respondida portanto a partir do nível de freitas e tem um tempinho porque vou fazer a leitura depois na segunda pergunta foi feita pelo colega sérgio suiama da prdc do rio de janeiro qual a posição do candidato da candidata a respeito da nomeação para câmeras e pfdc se o candidato a candidato a assumir o compromisso de nomear para a pfdc quem tenha trajetória currículo e compromisso com os direitos humanos inclusive minorias lgbt negros é de centro essa será a primeira pergunta sorteada que será respondida partir do túnel de freitas e uma segunda pergunta que não está identificada em relação a quem foi o subscritor ou a subscritora diz que em 2015 foi criada a secretaria de apoio pericial e os peritos passaram a atender aos procuradores de sua região atualmente com espera essa atuação se ampliou ea atuação dos peritos passou a ser nacional esse desenho é um desenho caro para a instituição e de entrega mais demorada pois o servidor leva mais tempo para atender os diferentes contextos para atuar em casos tão diversos quanto importante sócio ambientais do norte tráfico de fronteiras no sul e centro não seria mais sensato e realista que os peritos viessem a atender por especialização coincidido com a sua expertise e por região porque os peritos lotados nos estados não participam das decisões de brasília então a primeira pergunta sorteada vou repetir será recebida a partir de agora na ordem pelo doutor gil de freitas indaga qual a posição do candidato da candidata a respeito da nomeação para as câmeras e para perder 6 sobre o perfil que o procurador ou a procuradora federal dos direitos dos cidadãos deve ter para realizar a sua missão é bem eu acho que isso pra mim é coisa evidente que quem atua nas câmaras nem aí na pf e se ele tem que ter se tem que ser pessoas alinhadas com os valores a serem definidos nestas respectivas esse e respectivos órgãos nem o a escolha nas câmaras ela é feita a partir de uma uma pré apreciação indicação pelo pelo pelo conselho superior ministério federal das câmeras nem o coordenador escolhido pelo pelo procurador geral ea pf de ser escolhida pelo procurador geral eu acho que assim não tem como alguém exercer a função de pfs se não tiver uma especial sensibilidade para o tema é de defesa e promoção dos direitos e cidadania direitos humanos na defesa das populações carentes da sé é das minorias então essa necessariamente a pauta da pf e cia e eu entendo o corinthians na quarta câmara câmara de meio ambiente e patrimônio cultural e um quilo que assim as pautas nossas pelo menos assim o trabalho e assim eu continuarei a trabalhar sempre nem acho que as pautas não são exclusivamente minhas me acho que as pautas nós construímos em função do diálogo interno coletivamente nem eu espero assim eu assim apo com o coordenador de a câmera assim atuar esse furo o novo procurador geral da república e espero que assim os colegas que atuam que venham atuar nas câmaras e pev de ser também tenham é essa sensibilidade já a alinhados embora a chance em toda a fruta do do consenso do diálogo da construção coletiva e certamente assim no a a pauta nossa é é a prioridade do ministério federal e atua e em prol da defesa dos cidadãos nas melhorias dos hipossuficientes e da o combate à corrupção na defesa criminal da nossa população ativa nem seja nos temas de definir os cidadãos e da tutela ou na parte criminal com a palavra a doutora luiza cristina o primeiro eu tenho dito que o papel da procuradora geral é da república junto ao supremo é atuar na afirmação do sistema acusatório na cooperação internacional e na defesa das políticas públicas as seguradoras dos direitos sociais voltadas para os grupos minoritários e vulneráveis na forma da constituição dos tratados e dos marcos legais hoje existente é sobre a questão dos coordenadores e da parte de seu quero dizer que os mandatos terminam no ano que vem importado inclusive o rol dos elegíveis dos indicados pode aumentar porque nós podemos ter novos procuradores gerais da república sobre o perfil eu penso que devem ser pessoas que têm um histórico de atuação é na matéria é que tem um histórico de é de liderança e também de articulação com os colegas que atuam nos grupos de trabalho de apoio da área e nos ofícios vinculados às câmeras e até crescer nos locais é nas unidades é no caso da pfdc nós também temos os nobres é que constrói uma política da pedra fez descer de forma conjunta é importante que a agenda nacional da cana das câmaras dos coordenadores e da pfdc tenham também uma construção coletiva seja com os grupos de trabalho sempre com os grupos de apoio e com os colegas que atuam é na base uma vez que muitas ações vão exigir uma atuação conjunta por exemplo quando ações civis públicas têm que ser propostas é em conjunto a tutela coletiva tem isso a 4ª câmara tem ações na área amazônica a a apex e acabou de fazer uma atuação coordenada é na área da educação existem atuações coordenadas também na área da saúde então essa atuação coordenada é muito importante ela deve ser construída é coletivamente é a questão da pfdc ela também tem uma agenda todos nós temos agendas é específicas nem nacionais e quando elas tratam de assuntos internacionais eu penso que a atuação da cidade de forma conjunta eu tenho atuações em e intersetoriais com a pfdc contra as câmeras estão o diálogo é essencial para a construção das agendas com a palavra o doutor lauro cardoso eu tenho o entendimento de que eu tenho o entendimento de que a atuação do ministério público federal a partir da companhia 88 é essencialmente de proteção dos direitos fundamentais e já no campo cível ou seja do campo criminal a persecução penal ela vem dialogar com a oposição de leis fundamentais justamente para poder proteger esses bens jurídicos a pfdc tem um papel importante na configuração da proteção dos direitos humanos e na configuração fixada pela nossa lei complementar porque o ministério público federal garantir sua independência perante os demais poderes justamente em razão desse viés de proteção de direitos humanos eu penso que o psdc tem que ter uma atuação destacada na carreira quanto à proteção de direitos fundamentais uma atuação reconhecida pela carreira mas também tem será que ele tem a capacidade e tenha a possibilidade de diálogo procurador geral da república para que possa haver uma sinergia da atuação da proteção de direitos fundamentais junto ao supremo tribunal federal no controle concentrado então muitas das ações do sistema de proteção de direitos humanos de forma difusa encontram se nas atribuições de procurador geral nós num controle concentrado nas ações diretas de funcionalidade na preservação da ordem jurídica e nas ações diretas de ações descumprimento de preceito fundamental os coordenadores de câmeras na mesma toada serão aqueles que se disponham de alguma forma e e concordem implementação do modelo de atuação do ministério público de uma discricionariedade regrada de uma seletividade de uma desburocratização forte em todas as áreas em que os procuradores da república estabeleceu um plano de trabalho e que se possa definir suas prioridades de atuação de acordo com as realidades locais e aos entendimentos verificados no no dia-a-dia de sua atividade funcional então com esse sentido aberto o diálogo procurador-geral da república criamos a sinergia de atuação ministerial com a palavra doutor josé robalinho cavalcanti sérgio a coordenação de câmeras e a pfdc exige dois degraus primeiro um comprometimento sim o conhecimento e experiência na área que vai dirigir tão sem dúvida nenhuma o psdc tem que ser alguém que tenha história e essa noção esse vínculo com a questão do dos direitos que vai proteger quem também que tem uma capacidade que a lógica muito grande porque ele vai coordenar o trabalho no caso dos coordenadores de câmera desde logo a conversar porque não é nada compulsório anos todos nós sabemos ele não vai poder determinar mas ele pode coordenar em ajudar na unidade do trabalho no caso da pfdc também o o o gênio marlon escrever aquele artigo falando sobre o golo sobre a incompreensão que existe da pfdc um pouco a sobre alguns comentários que estão sendo feitos inclusive ensino de uma entrevista que eu tinha dado eu quero dizer que eu tenho perfeita noção do que é o trabalho tanto assim que quando o débora o foram atacados em no cnmp akira fez a defesa pé particular do caso estava lá e eu fiz a defesa do trabalho diagonal que é a pfdc faz mas aí eu quero fazer aqui referência sem fugir do assunto pra você trabalho em diagonal que a ftc faz não implica em falta de diálogo com os promotores naturais e sim houve alguns problemas internos nossos para não falar externos de acra ultrapassar os promotores naturais ou não conversar dialogar com os produtos naturais tão só o que o que vai ver um diálogo quando tiver um momento de escolher que luiza lembrou muito bem ainda falta mais de um ano a mais quando chegar o momento de escolher é que o pfdc contribua também com esse diálogo interno mas vai ter total apoio e total comprometimento meu como procurador geral para continuar numa das nossas missões mais nobres que construiu o brasil nestes últimos 30 anos que na proteção de direitos e do diálogo com a sociedade com a palavra do mario gonzaga sua gama é essa a pergunta é pertinente a atuação do procurador geral da república pois é ele quem escolhe os coordenadores das câmeras e aí ele também que escolhe é o titular da fdc no caso da pfdc no geral escolhe o nome de um subproduto geral e submete à aprovação do conselho superior pois bem de modo geral no tocante a tais órgãos é preciso que sejam titularizados câmaras ea crescer com colegas vocacionadas para atuação na área no tocante a pfdc comprometidos obviamente com a defesa dos direitos humanos direitos fundamentais é estamos longe ainda de um processo de sucessão da pvc é haverá tempo para é estudar nomes viáveis e sobretudo será muito importante ouvir colegas que atuam na área é na hora de fazer a indicação isso é uma coisa fundamental apesar de ser um tratamento próprio da lei complementar e conseguiu a previsão de uma lei que a agu que a regulamente essa lei nunca foi editada ea própria lei complementar prevê nesse caso a regulamentação pelo pgr da das atividades da da pfdc e ela tem funcionado nesses moldes as câmaras exerce uma função importante de coordenação e revisão mas também de integração é com órgãos que atuam na mesma área é importante isso é no exercício dessas atividades muito comum com o comprometimento com o respeito à independência funcional e com o respeito à figura do procurador natural não é é é sobretudo importante ter bastante diálogo com os colegas essas devem ser características é dos titulares desses órgãos de cúpula é do mpf com função executiva mas não não há passam direto na atividade fim nós não exercem a actividade desde logo de execução com a palavra o doblô da lua ele sérgio excelente pergunta para reflexão de todos os candidatos quer dizer que essas áreas se eu atuo em direitos humanos atuam em mato grosso do sul nessa questão de área de pessoas com deficiência das minorias quando cheguei em brasília foi conselheiro do conselho proteção a vítimas e testemunhas ameaçadas indicadas fugida confirmado por aurélio foi o primeiro não quer descer a integrar o conselho atue no conselho de defesa dos defensores de direitos humanos ameaçados conhece bem né a matéria posso dar minha contribuição com certeza como procurador geral e análise eu defendo isso pra tudo não existe mais principalmente nos tempos atuais o senhor dos direitos não existe ninguém que seja se o direito pgr também não é a pfdc as regras existem para isso o nosso ministério público federal é um órgão nacional com diversos braços que precisam de braços fortes lideranças psdc vai ser isso direitos humanos é claro dentro mas está na essência da pfdc diálogo de falar e de ouvir e de tentar realmente ouvir todos para que a questão sai de casa com a maior com maior é com a maior é a adesão possível né eu digo submeter não há ninguém mas realmente levar a discussão em ser uma peça de ser empoderada é o mais importante é coordenador de câmera também todos os coordenadores das temáticas respectiva serão ouvidos a indicação do pgr será de um sub que tem a liderança que tem história em cada tema é claro e que faça todos nóis é nóis procuradores da república somos todos procuradores da república nos sentimos representados olhar o coordenador e falar esse é o meu coordenador essa é minha coordenadora perto de si idem então são áreas vitais fundamentais e pretendo aprender com essas pessoas inclusive o pv é preciso fazer reuniões seguidas com essas pessoas que têm essas áreas do seu dia a dia o pgr não tem tempo não tem tempo de parar refletir sobre essas políticas pois quando nós somos vizinhos supremo atuações nessas causas se o pgr não aparecer não ouvindo as áreas respectivas o pgr em stara estará fadado a não levá a a nossa unidade a não ter sucesso perante o supremo tribunal federal diálogo diálogo de ouvir e de falar senão esses princípios básicos essas indicações tutor paulo bueno 1985 criou o setor direito humano o pertence que era procurador geral da república criou setor de direitos humanos que posteriormente veio a ser colidido decoded e atualmente ftc prdc eu fui primeiro responsável pelo setor de direitos humanos de são paulo e foi justamente porque o pertence sabia da minha história anterior como advogado antes e procurador eu fui advogado de presos políticos foi diretor da associação dos advogados latino americanos pela defesa dos direitos humanos e tinha uma advocacia muito voltada a defender posseiro a defender todo todas essas pessoas vamos assim desassistidos né muito bem eu acho que as coisas são mais ou menos evidentes né a gente o consenso eu acho que é uma coisa evidente que cada cada pessoa vocacionada à a determinados temas tem que ocupar os locais respectivos né é eu estou parece também bastante bastante simples né há quem por quem vai atuar nesse campo é quem tem uma história nesse campo é quem tem quem tem uma vocação nesse sentido a quem gosta de fazer isso enfim né é evidentemente que o senhor procurador geral da república vou ouvir os colegas ou ver quem é vocacionado a isso antes de fazer as as escolhas nec também serão evidentemente isso é compartilhado as decisões serão compartilhados eu sou extremamente descentralizador 11 não centraliza as decisões né meu gabinete e se eventualmente eu for será o gabinete de portas abertas de ouvir muitos colegas né nós temos dois ouvidos e uma boca a gente sempre deve ouvir mais do que falar o doutor vladimir aras muito importante sua pergunta sérgio foi um prazer trabalhar com você enquanto estive na secretaria de cooperação internacional você sabe a importância que eu dou a este tema nós podemos fazer aquela primeira equipe conjunta de investigação e um tema bastante relevante para a luta com um em favor dos direitos humanos no brasil esse procurador geral da república eu for como eu já anunciei no um vídeo que eu divulguei recentemente eu darei total atenção essa área é o ministério federal está o brasileiro instituição de promoção de direitos esse é o nosso compromisso constitucional esse é o nosso compromisso com os tratados internacionais nessa matéria de direitos humanos direito internacional humanitário e também no direito internacional dos refugiados nós precisamos ter coordenadores de câmeras que se da primeira da quarta da cesta mas também da 5ª câmara por causa da relação entre a opção de direitos humanos comum e anuncia por várias vezes à corte interamericana e também americano direitos humanos nós precisamos ter colegas vocacionados com currículo com experiência com compromisso mas também com o reconhecimento pela comunidade à qual representaram não só a comunidade interna mas como na externa ministério público federal e isso é se pode fazer mediante essas consultas aos aos stakeholders internos e externos e também se for o caso pensar até s não é o momento de instituir lista tríplice para escolha de do psdc talvez seja algo a se refletir nesse aspecto nós também podemos pensar é na promoção na continuidade da promoção da presidência como instituição nacional de direitos humanos na manutenção de sua posição na federação ibero-americana de ombudsman ea evidentemente o pgr deve participar e com o seu peso político deve prestigiar os eventos nesta nesse segmento nestas temáticas é tanto internamente quanto externamente instituição para encerrar essa rodada a fala final doutor josé bonifácio com o presidente o presidente é uma escolha de coordenador do dpdc é sem dúvida o primeiro a levar em conta que ela é compartilhada com o conselho superior o procurador geral não faz essa escolha vamos fazer essa escolha sozinha os coordenadores geral entre os que se inscreve mas o pfdc essa escolha compartilhada com o conselho superior claro que nas câmaras é preciso escolher entre os voluntários aquele que tem o perfil não está o perfil da área de conhecimento que tenha é que têm habilitação e gosto pela matéria é mas também alguém que tenha capacidade de gerenciar de coordenar é a de seu perfil assim o estado tem estado brasileiro o estado tem é por obrigação é na busca da justiça social um dos itens é a proteção dos minerais ea defesa dos interesses de minorias de coletividades tradicionais no caso do brasil comunidades indígenas também enfim dos vulneráveis como tudo isso é um encargo do estado dentro do estado o ministério público eo ministério público é um órgão importante a pfdc é é a de se não só insta os órgãos governamentais mas internamente também ela está a própria casa a função de defesa é todo o ministério público mas até ver se ela funciona como uma espécie de ao mesmo tempo cérebro e coração que movimenta e insta casa nessa atuação da defesa das minorias dos direitos fundamentais e dos mais vulneráveis obviamente é é a pessoa querida por perto de 70 hectares perfil tem que gostar dessa matéria tem que saber atuar nessa matéria tem que ter capacidade é de diálogo e tem que ter capacidade de gerenciamento eu particularmente não temos um ano pela frente ainda quer dizer eu particularmente além das características gostaria de escolher alguém ou indicar alguém o conselho que tivesse pelo menos estudos aprofundados nessa área o que gostaria de estudar nessa área tivessem pelo menos um mestrado ou doutorado que tivesse essa cultura de direitos humanos que não basta só apenas gostar mas é preciso ter uma cultura direitos humanos e um escolheria dentro subiu gerais alguém com esse perfil nelson brito ea última pergunta não sei se todos compreenderam vou fazer uma segunda leitura mas diz respeito exatamente a criação da secretaria de apoio pericial quando os peritos passaram a atender aos procuradores da sua região atualmente com a espécie essa atuação se ampliou e passou a ser feita em nível nacional a ideia que esse desenho é caro a instituição ea entrega passou a ser mais demorada pois o servidor leva mais tempo para entender os diferentes contextos de culturas para atuar em casa tão diverso região sul região nordeste ea pergunta é se não seria mais sensato e realista que os peritos atendessem por especialização e com incidentemente com a sua expertise também atendesse vinculados à sua região responderá inicialmente a doutora luiza cristina essa pergunta tem a ver com a reorganização da espécie a gente sabe que o modelo que foi adotado pelo supremo é pelo procurador geral rodrigo já não foi criar uma secretaria pericial centralizado em brasília e à doutora raquel optou por reunir as duas secretarias em uma única então espero segundo pedro a espera de perícia é nós temos carência de peritos é especialmente na área da 4ª câmara da 6ª câmara nós temos uma fila a da 4ª câmara a minha filha maior é essa questão das polícias nacionais inclusive é com os servidores em vários locais é fazendo o teletrabalho trabalho remoto ela atende uma necessidade de racionalização é do dos nossos servidores porque nós não temos peritos é em todos os lugares é evidente que estarão estar em uma base geográfica pode ajudar em determinada perícia não necessariamente nós podemos ter um geólogo especializado em mineração por exemplo ele poderá então fazer perícias relativas à mineração que nós precisamos ver hoje na espanha é se essa divisão da espanha atual na parte da tutela coletiva está suficiente provavelmente não é nós temos uma instrução de serviço do início do ano que permite a terceirização de determinados serviços então algumas perícias já poderão ser trazidas como peritos colaboradores que é uma possibilidade é para essa realidade na parte criminal nós temos que avançar entre nós precisamos avançar em novos instrumentos de análise de dados para que os relatórios sejam produzidos de forma mais rápida então nós temos esses dois olhares o com procurador geral acho que a gente tem que ver o modelo atual dada speck na verdade é um modelo que tem vai completar dois anos e que os titulares sejam um da área mais afeto a pesquisa da área criminal e outro mais da área da tutela coletiva lembrando que talvez nós tenhamos que ter dois secretários e dois adjuntos que é o que nós tínhamos antes e agora nós ficamos com só dois um secretário e um adjunto uma palavra doutor lauro cardoso bom do nosso é muito pouco pra falar sobre isso mas eu vou tentar ser bem sucinto é houve a unificação da secretaria de apoio policial anteriormente retirando das câmeras dos peritos de formas que estabelecesse um catálogo de serviços atividades e desce e criar sua metodologia de perícia do itep federal décima efetividade marfim é vazão a toda a demanda esse foi o modelo inicial das cantoras de apoio policial estava indo bem é que nessa secretaria de apoio policial nós tínhamos a vinculação dos peritos mas quando as câmeras pelo menos nas áreas temáticas das câmeras e pensava se avançar numa especialidade temática de acordo com a ciência da perícia que ele realizaria mas em algum momento isso é não foi possível porque houve a unificação da espera com as cantoras de apoio policial e se percebeu que as atividades são completamente diferentes pela tua em apoio à investigação do procurador da república juntamente com o procurador da república também na parte fiscal bancária a telefônica ea secretaria de apoio policial atende prioritariamente ativa ainda que tenham computadores então na verdade é o que nós precisamos fazer agora é separar você voltar o que era criar a secretaria de apoio inicial é essa questão de deter assim um decréscimo na prestação de serviço regional isso me parece que em razão da própria gestão na secretaria de apoio inicial porque a ideia que a regionalização de experiência para atender prioritariamente os peritos vejo as demandas regionais e locais e quando necessário se houvesse ociosidade do trabalho regional ou local que atendesse à demanda nacional e à demanda nacional fosse atendida pelos espíritos que estivesse em brasília então aí se o regional está fazendo nacional são um problema da gestão da perícia então nós temos que avançar também uma metodologia das perícias já concluindo é fazer com que os técnicos de nível superior que tenham possibilidade de realizar perícia também realiza as experiências mas é preciso a alteração do plano de cargos e salários servidores doutor josé robalinho cavalcanti primeira vez mais nada pela copa descrição da pergunta se conclui que faltam feridos então a primeira coisa que tem que ser feita e é uma das estratégias da linha chaves que eu pretendo colocar se vocês confiaram em mim com o procurador geral faz parte eu apresentei até cumprir como tese no primeiro como no segundo congresso técnico da fpf foi aprovada é desinfluente a nossa área meio rever uma série de questões teve áreas que nós estamos com sobrecarregados e aumentar o apoio de área fim perito é essencial eu tendo a concordar com meus colegas antecessores em dois pontos primeiro como disse lauro eu não vejo a similaridade nunca vi que precisava conversar pra ver as questões práticas mas é evidente que houve um problema entre espera e oaxaca de apoio policial eu acho que são realidades diferentes que seriam melhor geridas em separado agora quanto à regionalização de perícia quero que os fazia a seguinte reflexão nós estamos acho que todos aqui defendendo uma formatação diferente do ministério público federal contra trabalho e com criação de ofícios regionais com criação de ofício super locais e temáticos então não faz sentido eu tô falando isso pra atividade-fim do membro eu regredi para uma idéia de perícias rede peritos regionais a na área de apoio acho que a idéia de peritos 11 caderno 'portfolio' como lauro falou nacional está correta os colegas os peritos localizados regionalmente se você tem uma demanda muito forte uma questão de gestão você pode ter olha é melhor você ter dois ali que resolvo aqueles problemas são muito regionalizados mas o espírito é ter um portfólio nacional que responder com a minha maneira mais eficiente ao trabalho do brasil inteiro então é isso perícia vai ser uma prioridade como será a prioridade apoio da atividade fim acho que a união com espera não foi uma boa ideia com certeza não foi são funções diferentes e que temos que nos concentrar nessa questão de maior eficiência nacional da perícia do mário gonzaga uma das primeiras medidas a serem tomadas pelo novo procurador geral da república e assim o farei se for escolhido pela lista tríplice e nomeado é fazer um levantamento diagnóstico da situação econômico financeira e orçamentária do mpf para a tomar providências é necessárias inclusive serviu de fundamento de ponto de partida para um xingamento dos gastos no ministério federal nós temos que enxugar gastos é e liberar recursos para investir na os serviços de apoio à atividade fim e também na valorização da carreira e aí eu digo isso porque evidentemente para fortalecer a atuação do serviço de apoio inicial da espera na prisão de mais recursos é é isso desde logo se coloca também podemos trabalhar com a idéia de remanejamento de servidores que estão em áreas mais ansiosas por exemplo engenheiros setor de engenharia e arquitetura o mpf está fazendo poucas obras podem ser deslocadas e dar apoio ao setor policial é e outros servidores qualificados também sem que isso importe em custos significativos a estreia e o serviço de apoio policial tem características distintas e moto modelo atual não é melhor é preciso voltar ao modelo anterior em que tínhamos é acertadamente membros titulares visando ambas as secretarias com desoneração não é possível é trabalhar de outra maneira temos que o grande problema nessa área é a o longo tempo de demora para a confecção dos laudos atrapalhando a atuação é do procurador na no processamento dos seus inquéritos das suas acções então é preciso eliminar esse gargalo e atender eventualmente contratando período sadok para as situações muito específicas e especializadas estão no dia a dia da atuação do mpf do brilho da lua certo é que fábio colegas eu acho que nós temos que da taxa não com certeza dá um passo atrás quer desfazer o que foi feito juntar estréia ea secretaria de de perícias e temos novamente a secretaria de perícias ea secretária de perícias nós temos a certeza é termos os peritos com um com abrangência nacional atendendo às câmeras atendendo os locais eu acho que isso deve achar que isso deve continuar só que é a política eu acho que você muda o número um você muda o número de seu sapato né é quando você vê o tamanho do calo então quem está todo nessas áreas ea união de várias áreas principalmente ambiental que aproveitar e cumprimentar gisele é o dia internacional do meio ambiente é todos que atuam nessa área o colega nível coordenador é dizer que essas áreas é o procurador um membro que está na base ele precisa de um perito permanente são nessas áreas todas ambiental saúde é computadores para as áreas de combate à corrupção área criminal são várias áreas de sp tease então a nossa idéia é ter uma força nacional que essa secretaria de perícia e temos essa possibilidade de termos ações volantes peritos em determinados é força-tarefa unidades com funções cedidas pela pgr ou tirando de um pacote grande que tem a pgr que dá para tirar assim tranquilamente e tenho certeza disso 8 fazendo a questão da das funções comissionadas 44% no primeiro dia vai votar 50% nós temos condição de voltar e aí dá pra você é tentar implementar nesta área nós temos colegas todos os procuradores da república hoje tem cc 2 nós temos analistas nós temos que investir mais em analistas coloca na lista de direito gabinete você pode aproveitar esses e dois para contratar peritos se não desce o número foi de 1 minuto de servidores nós vamos contratar peritos naquela área específica nós temos que atacar isso atacar atacar frontalmente ter uma estrutura nacional ao crime que vai ter o gaeco e vai ter é claro aquelas atuações os seus respectivos ofícios temos que mudar nossa forma de trabalhar doutor paulo bueno essa questão da perícia é realmente uma questão bastante importante que está no dia a dia de quase todos procuradores eu também atuei na na área de direito ambiental em são paulo em segunda instância e tudo em prática em todos os casos desde ambiental exige perícia é é louvável acho que acho que é bem interessante essa esse corpo policial não é assim que nós estamos criando que é uma coisa muito recente antigamente não existia isso antiga é eu acho que é bastante importante sair mas também não pode esquecer que é o as coisas estão cada vez mais complexas né e exige uma especialização cada vez maior outra coisa o brasil é muito grande tem é que cada região tem suas especificidades eu acho que na medida do possível a gente tem que tem que atender é é teu esse corpo de peritos regionalizar o quanto for possível eu concordo com essa regionalização mas também eu acho que é imprescindível também pegar a gente de fora é impossível que o nosso perito tem conta de todas as demandas né que o que aparece que vão surgindo com o tempo eu me lembro por exemplo eu atuei no caso do mexilhão dourado no estado de são paulo que estava fluindo lá uma ou aqueles lagos nada daquelas grandes represas na cidade de são paulo e nosso na época veio para o processo grandes especialistas da área os melhores especialistas das universidades inclusive vieram discutir com o neco o ministério público com os 14 e os advogados de defesa com quatro desembargador arquitecta o canto caso acabam fazendo um acordo no final e assim foi uma experiência muito rica muito interessante e que mostra que é impossível a gente só de gente de dentro pra fazer a experiência inevitavelmente acho que nós temos que ter gente de fora pego pegar os grandes especializarem conforme especifica especificidade de cada caso de cada região o doutor vladimir ares muito bem tema muito importante que diz respeito às nossas atribuições tanto na tutela coletiva quanto nos aspectos penais é nós precisamos pensar uma reestruturação da nossa atividade pericial em três eixos uma questão estrutural orgânica diz é com a necessidade de separação da actividade policial nós precisamos ter uma secretaria nacional de investigação e uma secretaria nacional de perícias a dentro da qual devem em uma estrutura que o domínio do mp lab para que nós possamos usar intensamente as novas tecnologias para o a atividade pericial para tirar probatória inclusividade da das perspectivas do ministério público nos dois campos prioritários de sua atividade nós precisamos ter uma flexibilidade na na localização na utilização dos nossos peritos em todo o território nacional não certamente descentralizados a mais ligados a um órgão central que possa atender 10 centralizadamente e evidentemente nós precisamos contar dada a dificuldade de recursos públicos da instituição com o convênios com instituições nacionais e estrangeiros que possam nos auxiliar na realização dessas perícias um rosto em uma lista de peritos é pré estabelecida pela também facilitar isso um fundo nacional talvez criar é o promoveram pedir ao governo que crie um fundo nacional para o financiamento de perícias específico para perícias vinculado ao ministério da justiça é incentivar o uso de acordos de colaboração e táxis para a promoção de aquisição de serviços e instrumentos para o fortalecimento da atividade policial e técnica dentro do ministério público federal e evidentemente buscar esses mesmos recursos ea construção é por meio dessa cooperação técnica internacional é de nossas capacidades com financiamentos externos de países ou de organizações internacionais para que nós alcançamos esses três pontos estrutura o financiamento e pessoas mais pessoas para atuar nesse campo doutor josé bonifácio nós estamos agora com doutor josé bonifácio na sequência com o nível encerrando essa parte inicial e passaremos na sequência pergunta direta entre os candidatos eu vou zerar novamente aqui a palavra doutor josé josé bonifácio bom já vi que nessa área tem problema porque se não tivesse tanta não vinha e parece que está plantando está muito incomodado o problema é eu só volto a dizer sua vez só essa centralização mas nesse assunto de suporte técnico ou de apoio da atividade meio da atividade fim é pra mim vale muito aquela frase minha que é muito utilizada em marketing tal é a satisfação do cliente então o que interessa é o seguinte não interessa como espanha e ficar com de ficar como eles gostam de ficar interessa como eles não servem melhor se do jeito que está não serve tem que mudar em geral em geral o apoio técnico serve melhor contar próximo de quem ele vai servir eu tenho impressão que muitas pessoas contratadas em brasília distância controle remoto conversando com o brasil inteiro não vai funcionar bem pode ser que funciona ou não funciona pra mim tem que está próximo das unidades que são o que fazem a demanda tá e aí é preciso não começar com a estreia mas conversar com a clientela que é servida pela espanha que como é que ele gostaria de ser atendido tá e aí então reorganizarmos da espécie segundo as nossas necessidades e não segundo o planejamento que vem preestabelecido pra cima a primeira solução é conversar com quem é servido pela unidade do órgão tá e via como eles gostariam de ser atendidos se a unidade está no local que está no estatuto que pode ficar na região se convence de onde você não convém isso aí temos que ver com quem é atendido pela estreia o que eu tô vendo que eu vejo hoje é que não está satisfatório então a minha proposta é ver como é que gostaríamos que fosse e aí depois realizar o serviço em princípio eu acho que considera pela minha experiência é que os órgãos de apoio tem que estar próximos das pessoas das unidades que são apoiadas e finalmente encerrado a primeira parte do debate doutor nível de freitas é essa atuação não é dada espera a espanha é fundamental o desenvolvimento da nossa atividade fim e realmente eu acho que a prioridade nem e assim farei se ouvia seu procurador geral da república de investir substancialmente nisso nos instrumentos nem de tecnologia de informação big data e software inteligente e que são fundamentais por dia para o exercício nossa função de investigação nem a krona é suas tarefas nos grupos de trabalho e nós temos um problema de simental tem um problema de pessoal médico suficiente de pessoal é de investir no aprimoramento desse pessoal mas que na verdade tem uma sugestão muito boa o colega leiloes.net que o a brotar em si teve oportunidade de fazer um uma auditoria operacional é com a tecnologia lá no tribunal de contas para a gente sentar realmente é tem um diagnóstico entender o nosso pessoal onde está como vem sendo utilizado e nené o que a gente pode aprimorar com o que temos não é para a partir disso a gente partir pra melhor o serviço que é prestado em duas áreas é é e nós precisamos desburocratizar eu acho que a junção dentro dessas áreas surgiu em função do globo desequilíbrio no provimento de técnicos pelo país inep pensou se que que você centralizando isso em brasília e você democratiza vânia facilitava para que regiões mais carentes tivessem também a sua perícia é eu acho que é fundamental que tudo foi colocado pela colega luiza é do da utilização de peritos colaboradores também é fundamental que nós tínhamos o e convênios com instituições de pesquisas universidades já que é impossível nós temos um expert de todas as áreas forem falar bom agradecemos a todos e vamos passar para a segunda parte do nosso debate onde os candidatos podem fazer perguntas entre eles na seqüência quem vai fazer a primeira pergunta é o doutor lauro cardoso eu vou pedir ajuda aqui primeiro do lado direito o doutor josé robalinho pra sorte ao candidato ou a candidata que irá responder à pergunta do doutor lauro a pergunta direta do doutor lá é do doutor lauro cardoso será feito o doutor vladimir aras o poder judiciário ministério público são dotados de autonomia e independência com funções constitucionais claramente distintas as quais são exercidas segundo regras previamente estabelecidas a constituição federal consagrou o sistema acusatório do processo penal sendo vedada a condução de investigações criminais pelo poder judiciário tendo em vista a necessidade de se garantir a imparcialidade do juiz ea separação de poderes em outras palavras quem acusam investiga não pode julgar quem julga não pode acusar ou investigar que medidas o senhor pretende adotar para o aperfeiçoamento do sistema acusatório uma palavra doutor vladimir aras muito obrigado lauro é se ele só acho que é uma disciplina 20 anos para supervisor de processo penal e é o que eu venho dizendo há 20 anos que nós precisamos ter um sistema acusatório antes de mais nada porque se trata de uma garantia esse é o fundo da sua questão é uma garantia do cidadão a separação de funções a razão de ser da garantia não é porque nós do ministério público somos uma instituição independente instituição respeitada mas sim porque antes disso os acusados os investigados merecem ser julgados por juízes isentos objetivamente atuando há objectivamente que não se envolvam na produção probatória tarefa que cabe principalmente ao ministério público a quem cabe controlar e conduzir investigação é junto com a polícia apresentava ao judiciário então o primeiro passo é de fato a mudança da cultura a cultura é promover mudança da cultura com os seminários o que já vem sendo feito em grande parte por luiza cristina foi feito também produtor bonifácio quando ocupo a 2ª câmara e o que vem sendo feito inclusive na minha gestão na secretaria de cooperação internacional com nós promovemos um grande seminário internacional o aspecto a atuação forte é e constante contínua incansável no supremo tribunal federal para que o próprio o próprio supremo volte a reconhecer como já reconheceu no passado eu cito aqui há aí 15 é que é 15 que criaram a figura do juiz investigador supremo retrocedeu nessa agenda o outro aspecto atuassem de forma contínua e forma bastante coordenada com os ministérios públicos estaduais é e os outros ramos - o mpt obviamente perante o com o congresso nacional para que os marcos acusatórios dessa separação sejam reconhecidos e para isso nós precisamos do sr bem forte e bem estruturado e agora a réplica excelentes colocações vadim adicionalmente setor com um ponto importante é a necessidade do supremo reconheceu essa centralidade do ministério público na investigação criminal então me parece que a 8038 a lei 8.038 o próprio regimento interno do supremo tribunal ele precisa ser revisto porque os ministros relatores eles atuam como juízes de instrução então as diligências requeridas pelo procurador geral estão estão sendo dirigidos ao supremo inclusive pra meros depoimentos ou requisição de documentos exige uma autorização do ministro relator me parece que isso tem precisa ser revisto eo ministério o procurador geral da república tem um papel importante nesse procedimento parece que os outros tribunais tribunais regionais federais já reconhece essa centralidade e somente em casos em que a constituição federal prevê a reserva de jurisdição que o que a aquela medida investigatório submetido ao juiz e nós temos que atuar fortemente também nas proposições legislativas no congresso nacional atua fortemente apoiando inclusive a o atual projeto que permite acordos de não execução penal da aplicação antecipada da pena e avançarmos à tem até para negociação da aplicação da pena pela diretamente pelo ministério público e também fortalecer na centralidade do ministério público na celebração dos acordos de colaboração premiada e nos acordos de leniência acho que esse é um papel importante do procurador-geral da república agora a tréplica também de acordo o lauro é importante sua menção 8038 também o regimento interno do supremo tribunal federal é é um tema que foi objecto de um artigo meu alguns meses em coautoria com o colega danilo dias e depois também escrevi sobre essa mesma temática no que tange à os arquivamentos monocráticos ex ofício do supremo que vêm sendo contestados pela procuradoria-geral da república problema é muito sério é de regressão do modelo acusatório é triste dizer que estamos diante de um de colegas que atuam também intensamente nesse campo ele dizia que o brasil é quando olhamos para a américa latina é o país que está na não está na vanguarda está é bem atrasado um dos retardatários na implantação do sistema acusatório é especialmente porque recentemente isso aconteceu no uruguai na argentina ficamos realmente para trás e é por isso que é importantíssimo nos apoiarmos projetos como o projeto de lei do ministro sérgio moro que tem esse viés e também o projeto do ministro alexandre moraes comissão presidida por ele a segunda pergunta vai ser feita pelo doutor josé robalinho cavalcanti o doutor mário gonzaga e me ajudou a fazer o sorteio agora pouco o sorteado o doutor paulo bueno então a pergunta é será feita pelo doutor josé robalinho respondida pelo doutor paulo bueno meu caro paulo em várias situações o ministério público federal e ministério público brasileiro forma geral mas o ministério federal e vários colegas membro do ministério público sofreram ataques nos últimos anos seja de ministro do supremo seja de líderes políticos seja no congresso nacional uma outra dimensão medidas legislativas que nem sempre são positivas a nós são propostas levadas ao congresso nacional e debate no supremo tribunal federal também a nos atingem como instituição então a minha pergunta para você o que é que o que deve ou como deve fazer e como agir o procurador-geral da república numa situação como essa para defender a instituição ministério público federal bom eu agradeço essa pergunta realmente essa pergunta é bastante importante é nós vamos considerar que a sociedade brasileira está atravessando um momento extremamente difícil nós a data numa verdadeira ebulição e o ministério público que tem feito um trabalho relevante e observe o que tem sido reconhecido pela sociedade inclusive justamente pelo trabalho pela função no ministério público é evidente nós temos inimigos até amigo todos os outros não gostam da gente os de o olho latino lado gente executivo não gosta gente judiciário em gosta da gente pela nossa própria função então é muito natural que a gente sofra um ataque como este são os membros individualmente sofreu ataque é claro que o objectivo é representa a instituição tem a obrigação de defender a instituição de defender cada membro é que seja atacado é eu eu eu eu farei isso com todo de novo com toda a firmeza possível vocês podem ter certeza disso agora é nosso momento também que é muito difícil né e que nunca é às vezes não dá para bater de frente eu acho que nós temos que ter equilíbrio temos que ter um certo bom senso muito equilíbrio muito tato para resolver determinadas situações que só no legislativo né o pessoal tem projeto de lei porém a gente sabe disso vira e mexe o pessoal está querendo tirar nossas competências vira e mexe o pessoal está querendo é diminuir a força do ministério público e claro que nós temos que dialogar nós temos que mostrar pra sociedade com o qual portanto o nosso trabalho é ter um relacionamento excelente com a imprensa e enfim né é utilizado essas armas todas que estão ao nosso dispor né pra poder realmente é defender os só e defendeu centenas por com isso nós estamos defendendo a própria sociedade brasileira a réplica muito bom ouvir qual eu concordo com você está falando e aprofundando mais para dizer o seguinte nós temos que acabar com a era do silêncio a era da torre de marfim bom senso acho que todos nós temos eu representei a classe durante quatro anos e nunca fui acusado não ter bom senso ou de não ter tato e nem por isso deixei defender todas as vezes eu cada colega medo das situações mais agudas procurador geral com muito maior condições pode e deve fazer o mesmo seja esse ataque vindo do supremo tribunal federal seja vindo no congresso nacional esse silêncio e excessivo provocou perda de posições do ministério público no debate público em todos os níveis enquanto o congresso nacional eu faço em particular a observação de que a eu tenho 14 anos de atuação no congresso na zona 6 com o consultor legislativo 8 representando a classe o congresso nacional precisa de maior presença do ministério público se ataques ali vão acontecer esses ataques diminuíram na medida em que nós tivermos do debate público porque ali é múltiplo representando a sociedade o ministério público tem que ser parte da democracia sair da sua torre de marfim participar dos debates públicos e nessa participação não ter qualquer problema e defender as suas posições inclusive as corporativas as financeiras sem ter qualquer vergonha disso porque as carreiras de servidores e membros do ministério público são um mistério a nossa decadência vem muito dessa timidez essa decadência financeira excessiva e falta de disposição e enfrentar e defender o mistério público em qualquer esfera agora a tréplica é eu acho que eu também você colocou bessa essa situação realmente é ruim os embates onde assim como o congresso nacional são uma coisa importantíssima e eu acho que isso está ficando não deveria mas está ficando parte do dia a dia a nossa instituição nós temos que ter eu acho que nós temos é alguém presente lá no dia a dia no congresso conversando com os parlamentares defendendo as nossas posições mostrando é eu tenho algumas idéias é com relação ao congresso nós temos que propor muitas muitas coisas né nós temos problemas é é é alterações legislativas né eu já tenho tenho defendido em outros lugares por exemplo vamos vamos discutir certas medidas processuais como a realidade brasileira como por exemplo a questão do tribunal do júri eu acho realmente um absurdo embora esteja inserido como direito fundamental embora seja um direito de defesa na verdade brasileiro parece uma coisa completamente incompatível com o número de homicídios que nós temos eu acho que essa presença não é importantíssimo a próxima pergunta será feita pelo doutor mário gonzaga e o doblô da lume ajudou a sortegel do nível de freitas responderá nós estamos neste momento vivendo mais um processo eleitoral de lista tríplice em meio a incertezas que são inerentes do fato de ele não a temos ainda constitucionalizada pois bem estamos trabalhando juntos para garantir que esse direito democrático os procuradores de colaborarem a exemplo dos outros 29 ministérios públicos com o processo de escolha do seu chefe falando então em democracia no âmbito do ministério público federal eu indago ao empresário o candidato nível qual a sua trajetória no âmbito da democracia interna do mpf e o que pretende fazer para aprimorada se for pgr do nível eu posso falar é que não é é com relação à minha vida que eu tenho que falar o seguinte eu minha primeira é em lotação procurador da procura na procuradoria da república no município de campos dos goytacazes né e quando vim para o rio eu fui é ele por meus pais meus com os colegas que atuavam na nato tela de interesses difusos coletivos e a coordenadora da cortiana antiga cogite muito orgulho de atuar na política e kehdi fui é aqui a gente teve essa sempre teve essa prática democrática aqui no rio de janeiro né posteriormente foi eleito é é por dois em dois mandatos foi iniciou-se o o outro aditivo que era alvarenga prática de eleger os procuradores chefes eu fui eleito por dois mandatos consecutivos para ser procurador chefe da procuradoria da república no rio de janeiro depois fui eleito é chefe substituto da prf dois posteriormente eleito procurador chefe da procuradoria regional do rio de janeiro da 2ª região é é o eleito é cor de membro do conselheiro do conselho superior do ministério federal estou aqui mais uma vez me candidatando ao o cargo de procurador-geral da república eu entendo que uma instituição como a nossa as coisas têm que passar sempre de forma democrática como nós todos temos o o objetivo não é o da independência funcional é a gente continua a união a unidade necessária da instituição com base no diálogo esse diálogo pressupõe que as pessoas têm a legitimidade que tem uma certa lixo e liderança minha pra atuar entendeu e nome em conjunto com os colegas eu acredito que a gente só consegue funcionar com base no diálogo é do da construção coletiva então assim na nossa instituição só funciona a democracia o diálogo e é isso que eu penso a réplica é nível é na retomando que eu estava falando e dizendo que você realmente entrou bem na no tratamento da questão eu queria dizer o seguinte é da minha parte sempre recorre à vontade popular da nossa classe é em busca é de eleição para alguns cargos que almejava exercer fui procurador regional eleitoral eleito pelos meus pares em por dois biênios conselheiro do cnmp também por dois biênios conselheiro do conselho superior mesma situação é fui eleito pelo conselho superior para compor câmeras portanto é esse eu tenho essa vivência é nessa área e acho importante avançarmos e aprofundar a democracia interna no âmbito do ministério federal desde logo o senhor procurador geral da república é e significará ter estado na lista tríplice de ter sido escolhido e nomeado significa que um quarto presidente da república terá optado pela lista tríplice como perfis e os diversos presidentes bem diferente do espectro ideológico encontrando-se portanto bastante madura a questão da consulta constitucionaliza são da lista pela qual eu lutarei a partir do primeiro dia é do mandato nós temos que aumentar a transparência no âmbito do ministério federal democracia participativa eu proponho e procure o conselho superior facilitar a apresentação de projetos de iniciativa popular por parte de procuradores é temos que prestar contas do que fazemos e temos que efetivamente transparência hoje tão carente o ministério público federal nesse campo a tréplica é a maré eu acho inclusive eu jamais aceitaria se procurador geral da república se não fosse nem com o mandato outorgado pelos colegas pela pelo colégio de procuradores acho que isso é fundamental para que você consiga de é gerir a casa né eu acho q qq essence esse respaldo não tem porque uma pessoa aceitar entendeu exercício mundo escape disse que depende de uma construção coletiva eu eu acho assim que é um é muito bonito esse processo estão passando por esse processo da eleição da lista tríplice é muito bonito nós sabe sentados aqui submetemos nossos nomes a nossa biografia os colegas para escolher em quem eles acham que está melhor é é é qualificado naquele momento para exercer uma função tão água né e eu acho assim é uma colaboração e imensa para o país e o colégio procuradores da na medida que ele indigno colabora né é com o presidente da república ofertando o nome que ele entende mais qualificado com essa função bom a próxima pergunta vai ser feita pelo doutor bleu da lua no sorteio aqui acompanhar produtor josé robalinho quem responderá o produtor mário gonzaga tomar a minha pergunta é sobre o ministério público ea nossa comunicação nós temos um trabalho conhecido que precisa ser reconhecido precisamos ter um diálogo com a sociedade e os meios de comunicação e os formadores de formadores de opinião gostaria de saber quais são as idéias propostas que vossa excelência tem essa temática tomare usado obrigado caro abreu é sempre bom falar dessa temática da comunicação social o ministério federal tem atribuições relevantíssimas é no exercício das suas funções institucionais e à sociedade muito espera dessa atuação do mpf é importante portanto comunicar à sociedade o tempo todo o que está sendo feito a assecom é ter um papel fundamental nesse sentido eu pretendo é fazer alguma algumas transformações radicais na secom para torná la mais operacional e mais atuante em conformidade a esse formato que eu apontei nós temos antes de mais nada de ter um membro ou dirigindo diretamente a secol ou supervisionando diretamente é o formato exato vamos fazer um ajuste fino na montagem da equipe membro que vai dar as diretrizes e uma diretriz básica a comunicação institucional do mpf será em pessoal não estará a serviço é de defesa de posições do procurador-geral da república é o de qualquer membro ela estará voltada à comunicação com a sociedade é em questões fundamentais deverá está estruturada deverá estar sempre pronto e alerta para esclarecer a opinião pública quando por exemplo a informações é inverídica a respeito da atuação do procurador geral o posicionamento institucional hoje com a dinâmica das redes sociais as fatos não param de acontecer as pessoas entram fim de semana dentro feriado de final de ano natal e semtran a secom estará sempre acompanhando e atenta em havendo necessidade de uma intervenção para esclarecimento ela acontecerá não nas primeiras horas de segunda feira acontecerá a sexta noite sábado de manhã em certa eo procurador estará ali pronto para prestar esclarecimentos nessas revistas de final de semana seis lançam informações é não corretas isso precisa ser corrigido de pronto voto daqui a pouco a réplica memória excelente propostas e eu queria que nós realmente devemos mostrar à sociedade nós precisamos ter na sociedade do lado a pec 37 não está aí também pelo nosso trabalho mas também porque a sociedade foi às ruas nós temos que realmente além de uma seca realmente um profissional com um profissional que entenda de jornalismo que entenda de formação de opiniões que seja referência na área dos meios de é de os meios de comunicação nós precisamos também nós procuradores procurador geral as a fdc as lideranças as câmeras temos o nosso momento com as mídias e pretendo inclusive em implantar a nossa abertura anual de exercício prestando contas do exercício passado e dizendo para a sociedade diz a sociedade o que será feito é em linhas básicas pelo ministério público federal para o ano que está se iniciando está mostrando que nós somos instituição unidade nós temos que fazer eventos nós temos mestres doutores na casa especialistas em várias áreas que estão escondidos para o ministério federal a sociedade reconhece e aplaude chama pra eventos inclusive é inclusive está público estadual e 9 ministério público federal não reconhecemos isso então a nossa comunicação é isso usar a comunicação primeiro pra mostrar o que é o ministério público federal trazer a sociedade para compreender o nosso trabalho compreendendo o nosso trabalho tem certeza que a sociedade estará do nosso lado ganhar comunicação é isso eu acho que nós temos que realmente investir em comunicação investir em nós investir no nosso trabalho mostrar porque ministério federal tem essa tem essa roupagem funcional que que nós somos a sociedade no estado agora a tréplica pois bem prosseguido voltando a falar sobre o tema e complementando o colega abel eu pelas considerações feitas bem pertinentes é eu queria dizer que a se conectar presente muito atenta às mídias sociais tanto como produtora é de conteúdo como também monitorando o que se passa nas redes sociais é usando os mecanismos tradicionais nada mais me is you tube tech por exemplo não é saber o que se fala do mpf para ter a percepção de como a sociedade está vendo o mpf e sobretudo é instrumento poderoso de prestação de contas para a sociedade nós temos que usar a ser comparado a comunicação interna também obviamente para explicar tudo o que é produzido pelas câmeras da fdc etc é mais estando sempre preocupado em mostrar à sociedade que olha esse crime hediondo esse desastre ambiental não ficará impune o que o ministério federal já está agindo de ponta prontamente aqui está a questão as providências em seu website tomadas para que a sociedade fique tranquila não haverá impunidade o mpf está agindo próxima pergunta a ser feita pelo doutor paulo goiano sorteio sob fiscalização do tce robalinho caiu a resposta do lauro cardoso doutor paulo bueno pergunta olha é a mp mas dessa vez o pessoal do acidente que ameaça do papel do ministério público roda de imprensa no combate à criminalidade essa divulgação excessiva de novo tá bom é é assim o papel da imprensa no combate à criminalidade e segundo essa divulgação excessiva de de notícias referente aos crimes se ajuda ou atrapalha o combate a quina criminalidade resposta do lauro cardoso a nossa liberdade depende da liberdade de imprensa não pode ser limitada sem ser perdida por completo essa frase de thomas jefferson em 1786 no período que lutava pela independência estados unidos a idéia da liberdade de imprensa se confunde com a liberdade de expressão então em um regime democrático a livre circulação de idéias deve ocorrer sem qualquer tentação à sua limitação e fala até quanto a fake news a os estados mais totalitários tendem a criminalizar disseminação de notícias falsas isso estimula a censura como opção de evitar essa disseminação e passa a ter o controle não só da veracidade dos fatos mas da veracidade da própria argumentação sobre aqueles fatos então precisa ter muito cuidado quanto à limitação da imprensa eu sou eu penso que deve se buscar uma qualificação da imprensa e à própria imprensa vai se qualificando e vai-se regulando a atuação ética o verificação de suas fontes de forma que isso ao longo do tempo se vai se se vamos ver se estabilizando e não há democracia é isso mesmo nós temos que ter os cidadãos bem informados as públicas precisam ser transparentes nós temos que trazer a debate público a diversidade de idéias a pluralidade de idéias de forma que a informação oficial não seja única ela não pode ser a verdade oficial nós temos que discutir isso com toda a sociedade e na parte investigativa muitas vezes a imprensa ela nos mostra ao ministério público algumas verdades que nós não teríamos conhecimento se não fosse pela imprensa então a necessidade de ter um equilíbrio uma ética é na atuação da imprensa réplica bom é é a segunda parte da pergunta parece que não foi muito tocada é eu tenho uma preocupação realmente que essa divulgação excessiva acaba atrapalhando um pouco por exemplo a questão feminicídio algum tempo ninguém falava em feminicídio a imprensa começa a dar um noticiário quase todo dia a princípio aqui e ali no df no rio de janeiro e são paulo tal e começa a aumentar o número de feminicídios é que será isso é uma realidade isso né não estaria na hora nós repensaram certas coisas eu não sou contra a liberdade de imprensa longe nisso longe disso aliás papel do ministério público é justamente defender a democracia evidente que ele à imprensa um dos pilares da democracia mas eu acho que a gente tem que evoluir tem que tem que repensar certas coisas temos conversar mais com a imprensa até que própria imprensa reavaliou seu papel e começa a dar notícias positivas e ver se a gente tem crime crime crime crime até nós brasileiros as pessoas hoje fico vendo aqueles aqueles filmes americanos aqueles relatados que é tudo crime crime e sfb ae não sei o que mais ai ta e tudo é crime crime crime ele veio para a realidade brasileira é crime crime clinton pessoal pouco em coisas melhores um pouquinho né eu acho que a imprensa podia divulgar coisas mais salutares para a população coisas que bons exemplos né esse seu pouco isso te chá de 10 detidos a ideia dos criminosos às vezes as próprias atletas idéias que vão aplicar na prática agora a tréplica me parece que nós não podemos deixar as coisas que precisa ser discutido na sociedade debaixo do tapete então a imprensa tem um papel fundamental de jogar luzes naquilo que a sociedade precisa se concientizar então aparece um exemplo dado de feminicídio não se trata de estimular o feminicídio mais de se trata de mostrar à sociedade um problema concreto real que está acontecendo em dimensão é não percebida ou menos é em buscar inclusive ações estatais e ações conjuntas de busca é de diminuição dessa desigualdade entre homens e mulheres o machismo é um sentimento é muitas vezes é não é expresso claramente mas ele existe na nossa sociedade então é uma busca de conscientização de educação de toda a sociedade para as medidas preventivas e repressivas nessas atividades a próxima pergunta vai ser feita pelo doutor vladimir aras e no sorteio aqui fiscalizado pelo doutor mário foi sorteado o doblô da luz só peço um minuto para ajustar o cronômetro que ele sumiu aqui agora tarré definido então pergunta o doutor badin áreas responde o doblô da luta para se perguntar pro meu querido amigo leon com a impressão que ele tem da lei 3421 2017 que ampliou a competência da justiça militar da união e isso no contexto da intervenção federal que foi feito aqui no rio de janeiro o problema o certo é querido vladimir pergunta bastante e interessante questão já submetida ao supremo tribunal federal o pessoal ingressou com uma adin ação direta de inconstitucionalidade alegando diversas questões que essa lei estaria infringindo convencionais ilegais é procuradora geral raquel dodge já o feito parecer parecer pela inconstitucionalidade da lei é apontando lesões dentre outras coisas ao princípio do juiz natural né que inclusive começou americana de direitos humanos sugere é a nossa coleção federal é o princípio é ferir tirar atribuições constitucionalmente atribuídas ao tribunal do júri por uma lei ordinária e o princípio da igualdade e esse princípio da igualdade é me toca muito inclusive porque ela cita e olhando aparecer oportunidade porque é uma questão que foi bastante polêmica na nossa nosso meio jurídico a questão que veio antes por uma emenda tirando né os crimes cometidos por policiais militares estaduais contra civis passou para o tribunal do júri digo isso porque meu irmão foi assassinado por um policial e é por um policial militar e foi e foi julgado por aquele pra aquele júri militar dos estados e foi realmente foram dois anos dificílimos pra compreender o julgamento até conseguiu jogar momento justo do assassino do meu irmão no tribunal de justiça do mato grosso do sul é então nós temos realmente que ter um juiz natural que o tribunal do júri que o que eu defendo muito acho que ir lá atrás o que é o seu conterrâneo rui barbosa foi muito feliz quando disse que o tribunal do júri são pessoas leigas mas que elas ainda sai da sociedade e se elas não fizerem um trabalho bem feito mas voltam humilhadas voltam sem personalidade então elas fazem tudo para ter um trabalho justo então eu concordo com as posições internadas pela pgr neste caso agora réplica muito bem blue one só posso concordar com que você dizia pensando na perspectiva dessa lei de 2017 em coordenação com a lei seguinte foi no passado e que alterou a lei orgânica da justiça militar da união nós podemos imaginar uma solução adequada para a questão do júri eu sei que o nosso colega aqui paulo é contra o júri mas eu sou um dos defensores do júri é não só como nas mais importantes garantias do devido processo mais uma criação da que vem da dos tempos de tempo tempos imemoriais na história do homem devido processo no mundo implantado no brasil no século 19 e que resistiu aos mais difíceis momentos da nossa história importante que nós preservemos essa garantia ea nesse contexto das duas leis às quais eu me referi nós podemos pensar numa solução que é a da realização de júris por siv compostos por civis mais presididos por juízes militares da justiça da união que esse agora o nome se dá os antigos e os auditores juízes federais da justiça militar da união que são civis como nós e que poderiam presidir essas sessões de júri observando-se a garantia constitucional do julgamento pelos pares mas dentro da estrutura da justiça militar da união como se pretende com as duas leis em questão agora a réplica ea tréplica a tréplica aqui presente para dizer que em 90 segundos o time consegue realmente trazer ensinamentos preciosos de direito penal processo penal sempre importante ouvir nós temos que ter realmente mente a questão da vítima vítima tem que ter é um julgamento justo que um juiz justo natural o disco é conhecido eu volto até um pouquinho na verdade sobre a questão do sistema acusatório até o sistema acusatório para funcionar é tem que funcionar como você me disse agora há pouco perante o juízo imparcial o juízo que leve a garantia às vítimas e também aos acusados que se nós temos um código penal realmente que é feito para a acusação né nós temos um código de processo penal acho que é muito feito para pré para a presução de inocência para sermos que conjugar isso se o sistema acusatório que desde 1711 existe né e até hoje nós temos discussões sobre a melhor forma de lhe então são questões realmente para nós refletirmos e para que essas leis sempre é é é sejam indo ao encontro do direito constitucional e não de encontro bom a pergunta agora vai ser feita pelo doutor josé bonifácio não ser no sorteio responderá doutor luís e cristina o doutor aluizio china é sendo vossa excelência escolhida para o honroso cargo de procurador-geral da república como é que vossa excelência pretende se relacionar nacionalmente com o presidente da república do artigo 129 portanto é muito tranquilo essa esse relacionamento o procurador geral ea procuradora geral deve fazer a defesa daquilo que a constituição os tratados dizem e as leis também é importante que é sempre passar esse sentido de institucionalidade quando nós exercemos de de exercermos e se essa função porque somos do ministério público federal ea sociedade civil é espero que assim o façamos porque nos comprometemos com essa defesa no dia que tomamos posse e durante toda a nossa carreira então a nossa atuação seja quando estamos no supremo tribunal federal seja quando estamos no nosso no superior tribunal de justiça no diálogo é com o congresso na defesa dos projetos de lei de nossos interesses isso sempre vai acontecer porque a função do procurador geral da república ou da procuradoria-geral da república é aquela postos na constituição federal não é todo pelo acordo é isso mesmo o presidente da república precisa ter a segurança ea certeza de que o procurador geral da república não fará nada mais do que cumprir e exige que a constituição seja cumprida você fica muito claro ele é para o preço da república que seja ele quem for me parece que deve estar claro o procurador geral está sujeito a um filme político que é o senado mas agora há um fato político era um fato político é que surge com uma força muito grande que é uma espécie de controle técnico que a lista dizer é a nossa lista hoje propicia uma espécie de controle técnico já que um dos nomes que vão ser escolhidos são escolhidos pelos próprios pares é mais ou menos como o tribunal faz a lista dele lados dos seus membros então nós estamos fazendo a nossa lista então nós estamos submetendo a uma força política que a casa tá demonstrando que tem taxa sob controle uma limitação para o presidente da república mas ele precisa saber que além da competência técnica o procurador geral não lidará com o tratamento diferente daquele que está previsto na constituição da república e que está previsto nas leis isso é preciso ficar muito claro pra ele e acho que está a tréplica é com certeza o processo da lista tríplice faz com que nós façamos esse debate os colegas possam é escolher três entre nós para que esse é se esse trio seja levado ao procurador-geral da república eu vou aproveitar essa sua pergunta bonifácio para fazer também uma um posicionamento que tem a ver com esse exercício da actividade da procuradora-geral do procurador geral que o primeiro porta voz a primeira porta voz do ministério público federal é a procuradora geral da república o procurador-geral da república ele fala sobre o que está fazendo no supremo não deve se deve responder as entrevistas da sua atribuição é claro cada um dos colegas falam dos seus processos normalmente essa é a nossa política de comunicação deve ser sempre nesse sentido o procurador geral tem que falar no queixo fazendo no supremo tribunal federal do que está fazendo na defesa é dos projetos de lei do nosso interesse no congresso nacional então é muito importante que o procurador-geral a procuradora geral apresente à sociedade a sua venda a agenda da sua atribuição na sequência o do nível de freitas faz a pergunta o doutor josé bonifácio amanhã 20 bonifácio como vossa excelência é ver como harmonizar os princípios da independência funcional e da unidade institucional especialmente face da atuação de promoção nas esferas criminal e de tutela coletiva em diferentes instâncias pra mim é é uma falsa polêmica aí uma falsa contradição o pressuposto básico nós é o da independência funcional e da liberdade à ação eu considero que é o procurador do ministério público tem a mesma liberdade de atuação que o juiz tem ao dar a sentença exatamente a mesma a mesma liberdade o problema da unidade é que às vezes pensam que tem que ser tudo igual uma coisa está muito claro para todos nós é que nós nós somos iguais é temos uma diversidade de pensamentos têm uma diversidade de compreensão uma diversidade de pontos jurídicos e isso se reflete no nosso funcionamento tanto não é não somos iguais e acho um erro querer que a casa a torre monoliticamente não pode ser só isso é impossível felizmente que isso aconteça agora uma outra coisa que é o que nos às vezes nos incomoda e que às vezes pode gerar uma se resolve conversando tanto é a continuidade de determinadas ações então temos grupo de trabalho temos forças tarefas tá e aí esperamos e temos expectativa que haja uma certa continuidade isso sempre resolvemos internamente o conde du com objetivos dos órgãos de coordenação ou mesmo no diálogo interno agora no final e no frigir dos ovos há sempre que prevalecer a independência funcional que é esta eu digo eu volto a repetir que dizer é a alma é o coração do ministério público não tiver liberdade de agir nós não estamos ministério público vamos à advocacia pública vão estar em outro órgão mas não estamos do ministério público a réplica é eu concordo integralmente com seus ponderações né e agora sim é eu entendo assim um fundamental o diálogo né ea gente tem feito isso e aí pra mim é uma satisfação enorme nem na atuação na câmara não é de na câmara do meio ambiente a possibilidade é o que a gente vem exercendo no diálogo conversar com os colegas e de criar entendeu não eu digo é é unanimidade que a unidade não existe é como se diz até que a burrice é mais assim através do diálogo a gente construir consensos entendeu a construir atuações conjuntas comuns eu acho que isso é muito importante eu vejo isso na nossa atuação com as pessoas a participarem do debate é pra fechar as posições na câmara dos anunciados nas ações como as pessoas conseguem transcender por vezes assim é é e visões individuais né e abraçar teses da instituição eu acho fundamental que nós tínhamos essa capacidade de construir as teses do ministério federal isso em todas as distâncias né eu já tive oportunidade de conversar com os colegas a minha visão que nós temos que tenha se mais que bater nos tribunais superiores mais do que simplesmente vai ficar colocando que há um entendimento consolidado do stj e do stf nesse sentido a gente tem que ter entendeu é condições de criar tese do ministério público para mudar a jurisprudência para tentar avançar nem eu acho que isso é muito importante a gente ter sempre esse negócio diálogo de todas as esferas em todos os níveis agora a tréplica bom eu penso que a casa tem que conversar com os eventuais posições antagônicas que surgem é fruto exatamente dessa pluralidade de pensamentos que nós temos no final sempre é possível sempre nos ajustamos eu trabalhava com a doutora luísa na cama ela cansou de deixar vencido [Risadas] mas no final sempre nos acertamos que nem sempre o final achamos um achamos um denominador comum está e é possível isso mas volto a dizer que fazer é a unidade não significa uniformidade de pensamento nós não somos um bloco monolítico está e acho que talvez isso é que seja o grande segredo da bela atuação do ministério público é nós temos uma pluma uma pluralidade de pensamentos que no final resulta é temos uma resultante comum em benefício da sociedade em benefício do estado em benefício da população a última pergunta para encerrar esse bloco já caminhamos na sequência para a parte final do debate vai ser feita pela 12 tutora luiza cristina fez raise para o doutor josé robalinho cavalcanti luiza passar rapidamente apenas pela questão da criminalidade quando em crimes de quadrilha contra a administração pública porque eu acho que a versão que não é esse o foco principal da sua conta de sua expulsão mas dizer que aí nós estamos na ponta com tudo que a lava jato do rio de janeiro fez contudo que a lava jato brasileira feição também crime organizado sem nenhuma dúvida não nós nós temos é que aumentar a capacidade da nossa capacidade de multiplicar essas experiências dá todo apoio da pátria que chamada criminalidade violenta de tráfego eu já abordei a questão em são paulo que agradeço muito a oportunidade de fazer de novo para dizer que nós temos alguns campos de atuação que são muito importantes de serem executados em primeiro lugar nós precisamos melhorar nosso trabalho de inteligência interno de capacidade de investigação nós precisamos no caso em particular desse tipo de crime de criminalidade nós precisamos de integração e contato com os ministérios públicos estaduais dom boa parte dos crimes passa por lá e passa por cá e no combate a essa quadrilha dona desse tipo de dirigir a organização criminosa nós precisamos desse trabalho integrado sei que você na na segunda câmera como coordenadora da 2ª câmara fez uma série de trabalhos também buscando esse tipo de objetivo de ramos através de grupos você for matizar melhor essa parte da explicação eu te vejo com muita simpatia também a criação de grupos de apoio como o grupo do júri que funciona tão bem para o combate ao crime organizado não necessariamente no formato dos gaecos que seria o grupo de apoio não provavelmente promotores naturais e outra a questão que eu insisti lá em são paulo que acho que a gente tem abordado muito pouco que é o nosso trabalho nos que nos crimes de tráfico de armas e de drogas de fronteira que a responsabilidade nossa aí sim nós precisamos de contato com os ministérios públicos da dos estados fronteiriços mas é uma responsabilidade nossa que eu acho que a gente tem que participar mais dos debates segurança pública sobre isso criação de polícia de fronteiras criação de uma fiança de óculos do lado do executivo tem uma fiscalização melhor também sobre isso inclusive o grupo estratégico inclusive ele foi criado para acompanhar a intervenção militar aqui no rio de janeiro é importante compreender a lógica do do crime organizado no rio de janeiro inclusive histórico da do crime organizado no rio de janeiro eo ministério público federal ele tem um papel importante porque vários dos crimes de gaza' a criminalidade organizada são da nossa atribuição grande contrabando contrabando de armas nós estamos a baía de guanabara é temos a questão do tráfico internacional de drogas e antes de tudo nós precisamos dessa análise de informações e parceria com o mp estadual com certeza precisamos reforçar os colegas aqui no rio de janeiro na parceria com os órgãos de fiscalização e compreender que a gente tem sim um papel no combate à criminalidade organizada mais que passa inclusive pela prevenção quando a gente trabalha com a prevenção com a receita federal na questão dos portos com a marinha da baía de guanabara é com outros jogos é como a prf é na apreensão de armas e de outros produtos receptados nas estradas federais a gente pode estar trabalhando em prevenção e temos que trabalhar também na questão da lógica do financiamento do crime organizado e ao mesmo tempo da lavagem de dinheiro desses grupos por que a asfixia desses grupos são muito importante e pensar em o euro no qual esse tipo de criminalidade está ligado a uma coisa muito própria do rio de janeiro que são as milícias acho que nós concordamos em gênero número e grau dessa matéria juíza tudo que você falou é isso trabalho de integração trabalho que nossa parte de lavagem de dinheiro de crimes é que tem o seu resultado no exterior se case com o trabalho do ministério público estaduais uso de inteligência mas isso pra com isso nós fazemos a nossa parte eu só queria aproveitar essa parte final da época para fazer mais uma observação também sobre isso além da questão do crime de tráfico dos crimes de fronteira que a gente precisa aprofundar sinto eu acho que é um papel do procurador geral de puxar essa discussão junto com a 2ª câmara junto com a 7ª câmara nós temos uma participação tímida em vários assuntos e também nas formulações de políticas de segurança pública segurança pública não é apenas o lado da persecução mesmo lado da prevenção segurança pública é uma política pública de estado que passa por formatação de polícias por exemplo assuntos que embora afectos ao executivo a nós nunca nos envolvemos e deveríamos porque a eficiência da segurança pública passa por elas nós somos agentes da segurança pública então como procurador-geral pretendo também puxar essa discussão tem atribuição nossa junto com as câmeras a participar desse debate bom colega já caminhamos para a parte final do nosso debate daqui a pouquinho os candidatos farão a mensagem final de três minutos temos um pingue pongue rápido que a gente está fazendo nesse bloco mais de cem mensagens e perguntas haviam sido enviadas pela internet colegas de todo o brasil enquanto o debate caminhava agente software esses números aqui com a fiscalização de todos os candidatos o primeiro a responder na seqüência vai ser o doutor lauro cardoso ea pergunta que foi sorteada para ele a pergunta de número 70 a pergunta do colega alexandre aparisi que quer dizer qual será a política do candidato em relação ao processo de interiorização do ministério público federal como pretende viabilizar em tempo hábil a reestruturação da carreira dados diferentes cenários que enfrenta o mpf no país doutor lauro um prazo de dois minutos bom a interiorização ministério público federal decorreu de uma política é fixada pelo conselho superior do ministério público federal no sentido de crescimento da instituição esse quadro se altera com a emenda funcional 95 de 2016 que cria um novo regime fiscal estabelece um teto de gastos para o ministério público federal assim como todos os órgãos públicos da união então como é vamos buscar nosso nível de de atuação do ministério público com o novo regime fiscal nós temos que fazer uma nova organização do ministério público federal quanto o de tecnologia então tem que implementar o teletrabalhador é criar os ofícios digitais descentralizar os procuradores regionais da república reorganizar todas procuradores da república município fazendo um exercício daquelas localidades que efetivamente o ministério público entende como necessária sua atuação considerando as nossas avaliações internas assim como as demandas existentes e potenciais nessas regiões então essa reorganização tem que ser feita primeiro no exercício teórico em que o garanta também a mobilidade dos procuradores da república naquelas lotações de fronteira e de difícil provimento tirar essa pressão do colega de de mudança de sede em razão da sua situação pessoal então garantir a mobilidade dos membros e servidores passamos essa discussão definimos modelo ideal e esse modelo ideal ele deve ser implantado é garantido com que os procuradores da república hoje localizados nessas unidades não têm a sua situação funcional a sua situação funcional piorada mas que também há gente concilie a antiguidade da carreira então podemos fazer isso com a abertura de concurso de remoção com a distribuição de novos ofícios para essas localidades na situação ideal e depois avaliano concretamente cada procurador da república nessas unidades em município a segunda pergunta vai ser respondida pelo doutor josé robalinho cavalcanti sorteada de número 12 a pergunta do colega filipe andreas brasil se vê passados mais de 30 anos 30 anos milhares de índios ainda continuam nas misérias das terras indígenas qual a posição do candidato acerca do atual modelo de solução de conflitos indígenas em termos práticos qual política institucional será traçada pelo mpf para impedir a perpetuação da miséria dos conflitos indígenas felipe meu velho eu quero dizer pra você o seguinte eu não concordo com uma das premissas você falou se você falar de miséria eu quero dizer de maneira muito clara que todos os dados que existem que são pertinentes pelo menos os globais morte tron um crescimento da população e querida da população indígena nos últimos anos e que é sem dúvida nenhuma o fruto da atuação de todo o estado e do ministério público federal em torno disso não reconheço dessa forma que está colocando mas sei onde você vai viajar no conceito temos ainda uma quantidade muito grande de conflitos e conflitos que precisam ser resolvidos de maneira tão de acordo com a lei de maneira criativa eu queria colocar o seguinte termo lá premissas primeira premissa à defesa provar os sons tradicionais têm que ser feita nos termos da constituição não acredito que mudança alguma seja necessária para se chegar ao resultado que você está querendo a populações tradicionais têm que ser respeitadas as suas culturas têm que ser respeitadas as decisões têm que ser feitas por ele sobre como em que situações fazer qualquer tipo de integração isso desde logo acho que não é nisso não há nenhuma mudança a ser feita na forma da como o ministério público federal age e tem que agir na defesa das relações tradicionais nas situações de conflito algum sair do sul quando você está mato grosso do sul também há situações muito agudas você tem alguns pontos com conflitos com colonos que estão lá há várias décadas e você cria situações em que o conflito não se resolve politicamente aí eu antevejo 5 a mudança de política pode ser feita a política mais inteligente mas pelo lado de tentar buscar soluções para resolver esse conflito sem ser necessariamente a desapropriação puro e simples na forma do da formação de reservas simplesmente para ser pragmático buscar o problema está por resolver o problema com isso a gente vai avançar muito nessas situações acho que também a exploração de reservas indígenas que é outra discussão que tem sido feito próprios da época colocou depende lei essa discussão tem que ser feita no congresso nós temos que participar do debate no legislativo enquanto isso não houver nós temos que manter os nossos princípios da defesa das populações tradicionais como o determina a constituição ao ministério público federal a terceira pergunta vai ser respondida pelo doutor mário gonzaga pergunta de número 1 que é qual a posição dos candidatos sobre a falta de acesso à justiça enfrentado pelo cidadão brasileiro existe alguma posição sobre a regulação legal feita pela the pew sobre os a pf de ser utilizado o mpf quais as atitudes e medidas concretas de cobrança e controle como o pgr que tomar a fim de garantir o acesso à justiça por parte do cidadão bem nós temos aqui considerando o acesso à justiça por parte dos cidadãos brasileiros e se destaca com dois órgãos é fundamentais desde logo o próprio ministério público e uma tem especialmente o ministério federal e também a defensoria pública a defensoria pública tem seu papel destacado na constituição muito relevante que é a defesa é judicial dos interesses das pessoas é necessitadas ou seja dos mais carentes esse é o objeto escopo da atuação importantíssima da defensoria pública é temos visto a defensoria é avançar para áreas que são próprias do ministério público e eu me preocupo com isso eu fui coordenador da 7ª câmara vez foi do cmp presidente da comissão de sistema prisional visitei muitas unidades prisionais e vi é uma situação de grande carência de assistência jurídica por parte de presos é muitas vezes esquecidos e com direitos poderia ser reivindicadas poderia importar em saída desde logo da prisão veja a ausência da defensoria pública então é essa clientela é os necessitados que devem é a que deve votar defensoria pública o mpf tem um papel importante é através do diálogo da própria pf dc é na promoção da defesa dos direitos de cidadania é repercutindo sua ação sobre é uma quantidade muito grande de pessoas é um papel fundamental portanto no campo dos direitos humanos ah ah ah ah nós temos atuação da tutela é de direitos positivos é abrangendo também o universo muito grande de cidadãos que teriam dificuldades de entrar individualmente na justiça é nós temos portanto que avançar nessa atuação do ministério federal na tutela coletiva esse é o campo do mp é a assistência aos necessitados é o campo importantíssimo da defensoria pública a próxima pergunta foi essa mesmo a onu fizesse a próxima pergunta será respondida pelo doutor bleu da lua é a questão de número 73 formulada pelo colega e yuri correia da luz como candidato enxerga nossa política na área de ti e pretende privilegiar lá de que forma tanto no plano do desenvolvimento de ferramentas quanto no plano de contratações é um processo importantíssimo é claro que a nossa ferramenta de trabalho estamos em um mundo tecnológico ministério federal precisa acompanhar isso e nós temos problemas com a lei temos problemas hoje sabe de todos o nosso sistema 8 não atende às nossas as nossas necessidades nós estamos trabalhando para o sistema único e não o sistema único como deve ser uma ferramenta amigável uma ferramenta de conforto para o membro do ministério público federal precisamos rever essa política é aprimorando corrigindo os erros ou então trazendo um novo um novo o sistema sabemos bem que várias correntes defendem por exemplo e proc é que o próprio judiciário ainda não tem ele como homogêneo em todo o país etc precisamos trabalhar isso fortalecendo subcomitês a nossa secretária geral a pessoa que ocupará a secretaria-geral ser uma pessoa dialogante a lógica antenada e o fortalecimento da e dada este será fundamental pelo subcomitê se integrado por membros operacionais usuários que saibam quais são as nossas dificuldades que nós estamos precisando para trabalhar no dia a dia para chegarmos e conversamos com o computador e saímos no sorriso pra ele e não hoje como nós temos vontade de fazer que é dar murro next nós o mandamos que se de um crime estaríamos destruindo o patrimônio público então nós vamos corrigir isso as tic precisa eu acho que o caminho é esse nós temos técnicos capacitados sim lá no cnmp que eu fui secretário geral da onu durante 33 meses nós temos problemas com a t também que tinha um que tinha um sistema que não atendia criamos o sistema elo com dois promotores especializados operacionais foram em e seis meses construir um sistema que custaria 12 milhões se nós contra acima do mundo externo temos condição de fazer isso tranquilamente com um sistema único que tem que tem as suas ferramentas claro que serão aproveitadas mas volto a dizer voltada para o usuário temos condições que esse fortalecimento não só o subcomitê do do único mas todas governança de gestão serão serão empoderadas isso é muito importante para nós saímos da atual situação e vamos terceirizar técnico é técnico de informática como fizemos também um conselho nacional ministério público próxima pergunta respondida pelo doutor paulo bueno é a questão de número 3 feita pelo colega alexandre chinaider que trata da política criminal de drogas em nosso país com a posição específica do candidato sobre a descriminalização das drogas bom eu fui aquinhoado com a pior pergunta ou talvez a melhor olha essa questão realmente é é muito é muito controvertida e polêmica a gente não pode deixar de responder eu vejo assim como uma coisa inevitável em termos de modernidade em termos de futuro a liberalização das drogas todos os países desenvolvidos estão caminhando nesse sentido é claro não dá pra fazer de uma vez não dá pra fazer de uma vez ou nesse momento não dá para a gente ser a favor da liberalização total mas paulatinamente eu acho que tudo tem seu lado positivo o seu lado negativo se a gente liberasse por exemplo só maconha liberal total marco em nosso porte quantas pessoas vão sair da cadeia op positivo se liberasse tudo a cocaína por exemplo cultural cocaína e maconha quantas mais pessoas irão sair da cadeia hoje nós temos no stj eu acho que 60 por cento dos habeas corpus que eu parecer é problema de droga nas cadeias provavelmente mais de metade dos presos é problema de droga e nós não conseguimos a repressão correta se as multinacionais cigarro entrar no mercado das drogas é mais eficiente para acabar com os traficantes né ele é esse aspecto positivo tá lógico o aspecto negativo nem precisa dizer né então toda todo toda pessoa tem um amigo familiar tem um filho um filho do com o problema de drogas sabe que o rock é isso então realmente é o que eu digo mas eu sou a favor sim da liberalização paulatina né comedida porque eu acho que isso é inevitável algum dia vai ter que acontecer próxima pergunta a ser respondida pelo doutor vladimir aras a questão de número 60 formulada pelo colega francisco guilherme bastos no tocante ao aprimoramento da atuação institucional do mp eo qual a sua proposta concreta com o prazo para encaminhamento de projeto de lei ou avaliação sobre a proposta aprovada no primeiro congresso técnico da npr de criação do fundo especial de modernização e aparelhamento do ministério público da união muito bem francisco ótima questão a questão que nos faz refletir sobre as nossas fontes para aperfeiçoamento institucional num cenário de crise do novo regime fiscal e como ex diretor da associação eu só posso dizer que apoio à pretensão da npr neste campo é mais temos antes obviamente de ouvir as instâncias internas do mpf no na governança institucional e também do mp ua já que se trata é segundo o texto a sua pergunta de um fundo de aparelhamento do mp u obviamente houve os procuradores gerais dos demais ramos é e daí e depois disso evidentemente enviar o projeto de lei ao congresso não sem antes é ter uma estrutura mais adequada da secretaria de relações institucionais perante aquele poder com a assessoria parlamentar devidamente articulado que não acontece hoje com sr cabeça do órgão d a representação institucional diante do parlamento e nós temos paralelamente a isso que estudar outras soluções para permitir o nosso aparelhamento aqui o rio de janeiro já deu um excelente exemplo do uso de acordos penais e pode ser também mediante os acordos não penais os acordos de haim táxi em termos de ajustamento de conduta para esse aparelhamento como se tem uma outra resposta a força-tarefa lava jato nas suas boas práticas já fez isso um outra possibilidade também nessa mesma linha de aparelhamento a buscar financiamento de fontes externas coisa que nós fizemos na minha gestão na secretaria através do prospecto fã de buscar também do gêiser da alemanha ou é financiamento de projetos de cooperação técnica com o bid por exemplo a próxima pergunta dirigida ao doutor josé bonifácio uma questão sensível diversos colegas perguntaram e ela foi a guti nada na questão de número 71 como garantir a segurança adequada dos membros e familiares vamos lembrar que nós temos na nossa história o caso do assassinato do nosso colega pedro jorge temos hoje em dia diversos colegas pelo país ameaçados ameaça sempre teremos quando ingressei no ministério público na primeira semana naquele se da adaptação era promotor no espírito santo que um procurador de justiça velho ele chegou pra gente falou o seguinte olha vocês não se iludam ninguém gosta de promotor na verdade quem gosta do promotor é outro promotor e às vezes a mulher dele só então não tem dúvidas a nossa profissão ela existe para incomodar é nossa a incomodar cadê o procurador que não está sendo que não está incomodando desconfia do que está fazendo tá então receber retaliações ameaças de certo modo é esperado certo modo esperada isso nós temos eu em alguns processos que funcionem eu tive carros parados carro suspeito parado a minha casa ligações intermitente para o meu telefone ligações intermitente para o meu celular pessoas fazendo ameaças a um telefone que acontece nós temos que nos cuidar porque sabemos que estamos nesse meio então precisamos não só tem um espectro segurança tecnológica mas também físico segurança na casa e segurança pessoal e também comportamentos de de segurança e aí utilizar todos os meios possíveis inclusive pegar expertise de outros órgãos então por exemplo ter o nosso motorista vem treinando como sendo um oficial de segurança também não só o motorista e nós - temos também um comportamento mais cauteloso e mais defensivo é habitualmente e investirem em cultura de segurança e em produção de segurança nosso em casa e da nossa família temos várias não quer dizer andar com três seguranças em volta e isso é uma coisa episódica mas normalmente nós tem que ter a percepção do que estamos fazendo e qual é o grau de risco que estamos correndo quem está numa força-tarefa titular já está muito mais disposto do que quem está atuando eventualmente no processo de direito público no processo cível precisamos ter essa perspectiva ea casa precisa de várias formas de apoio a uma específica só a próxima pergunta a ser respondida pelo doutor nível de freitas é a pergunta de número 14 que indica como vossa excelência enxerga o ativismo judicial e do ministério público frente ao postulado da separação de poderes e uma pergunta concreta na sequência quanto ao tema como vossa excelência pretende agir frente ao inquisitório processo criminal aberto recentemente pelo supremo tribunal federal bem é com relação a nós o nosso ativismo ele é sempre lué é motivo de orgulho né nós somos um órgão de promoção de direitos e cidadania nem dos valores constitucionais agora com relação ao judiciário o poder judiciário e é é jogar né apreciar ao as demandas inscrição pro submetidas nem interpretar a lei não cabe ao judiciário criar lei ele não pode é é realmente nem a gente tem a quebra da democracia quando um os poderes avançam sobre atribuições dos outros a atribuição de legisla é do tac na casa do douro no congresso nacional os representantes do povo eleitos dos estados eleitos emanam do judiciário o o onu cabe ao juiz também investigar a atuação e deve investir cá né de dna a jurisdição inerte nosso sistema né então assim quando um poder passa a exercer a atribuição de outros poderes e outras instituições realmente na nossa democracia está sob tensão e incumbe nos a defesa da democracia então é é a nossa a nossa posição é de defesa entendeu o dobro da separação dos poderes da observância dos limites constitucionais e assim a idéia de atuar na nota hoje temos um problema já uma manifestação da procuradoria geral com relação a um inquérito instaurado a naomi ouve indevidamente pelo supremo tribunal federal mas essa questão no nosso quadro recurso anual a ser dirimido pelo supremo tribunal federal porque a bem da verdade esse inquérito nem ele não tem é um inquérito sem base alguma sem fundamento e há nada levar afinal de contas um kit serve para instruir nem a atuação do membro do ministério público e no caso do procurador geral da república além de outros vícios apontados a última pergunta pra que a gente possa passar para a mensagem final dos candidatos ela vai ser respondida pela doutora luiza cristina pergunta o gol de número 20 ela feita pelo colega ailton benedito de souza e ela é dividida em dois pontos como vossa excelência enxerga o sistema brasileiro de reforma agrária diante do direito fundamental da propriedade e na sequência como você enxerga a corrente a atuação do mpf no caso o indígena quilombolas e população lgbt mas são três perguntas aí em uma relativa exatamente às políticas públicas é assegurada na constituição a pre a resposta primeira é dada pela própria constituição artigo 5º diz é no inciso 22 diz que é garantido o direito de propriedade e 15 seguinte diz a propriedade atenderá a função social a desapropriação por interesse social ou para a reforma agrária ela a reforma agrária está prevista nos 182 para o segundo já coloca é os pressupostos da desapropriação para reforma agrária o que é importante é que a reforma agrária é o laudo do que se a propriedade é produtivo não é seja é feito com critérios e que especialmente quando a desapropriação seja pago a tempo e hora porque o que acontece é que muitas vezes há a indenização é muito demora muito muito atrasada e isso prejudica eventualmente o direito do proprietário foi desapropriado na paisagem urbana é a mesma coisa temos que construir por exemplo uma obra de metrô temos que fazer uma desapropriação às vezes é para determinadas obras de interesse público mas a indenização tem que ser paga é com um prazo é razoável é temos que ver também que a própria constituição cria por exemplo a questão do confisco da propriedade que se dedica a atividades ilícitas como o tráfico é ao plantio de de tráfico de drogas e isso ou que é produto é do crime de tráfico de drogas tão a constituição já nos dá é é as respostas a essa pergunta quando a questão é da defesa dos povos indígenas acabam ministério público defender os direitos dos povos indígenas especialmente as violências que podem acontecer dentro é do de territórios indígenas é a segunda câmara ea sexta tem uma força tarefa muito grande é sobre isso que a guarani no mato grosso do sul populações lgbt todo mundo tem direito até o reconhecimento da sua existência portanto se houver violência contra qualquer um de nós e quanto a uma dessas pessoas dessas populações pelas características intrínsecas isso deve ser reprimido eo ministério público deve atuar porque há de o direito à existência de todos nós bom mensagem final de todos os candidatos da candidata a partir na sequência da mensagem do doutor josé robalinho cavalcanti o tempo muda o nome já está iniciando colegas colegas do rio de janeiro o prazer e uma honra estar com vocês mais uma vez batendo nós estamos passeando pelo país conversando e nos apresentando num processo dialógico que é fundamental para legitimar para qualificar o o procurador geral da república é nós temos todos uma posição de humildade de aceitar o julgamento dos colegas bem mas eu sempre brinco que também todos os candidatos têm que ter um sentimento também determinada pretensão porque nós estamos aqui porque eu estou aqui porque estou apresentando ministério público federal precisa estar numa etapa em que a transformação é uma obrigação nós precisamos evoluir nós precisamos internamente é nos reestruturar eu tenho conhecimento dessa matéria capacidade de enfrentar decisões difíceis e capacidade de dialogar com cada colega pra que essas decisões serão tomadas nós precisamos de um ministério público federal que evolua do ponto de vista externo que tenha uma participação maior no debate público uma participação maior no congresso que não tenha pudores diz defender a si e aos direitos que tutela perante o debate público debatem um trabalho político também a política é um é a minha arte da democracia nós temos que ser dialógicos nós temos de ter capacidade de dialogar sem que isso vai prejudicar em nada os nossos direitos a nossa instituição usando dois exemplos de situações que chegaram aqui agora que debate que foram objecto de batons chuva lava jato cabe ao procurador geral e isso me encarregarei de fazer usar os seus contatos políticos contatos políticos que conseguem nome da instituição a força do cargo para proteger a instituição protegeu seus colegas e não o contrário como aconteceu recentemente da mulher da procuradora-geral atirar na própria dona nas atividades da própria lava-jato a questão dado que foi perguntado da pfdc o lado dialógico eu faço um elogio por exemplo a 6ª câmara nós tivemos durante o processo eleitoral uma sensação muito forte que ainda não passou de forma alguma de atrito na questão de defesa 4 é é populações tradicionais com o novo governo o que fez o coordenador da 6ª câmara antonio carlos bigonha na primeiros quinze dias de governo fez um seminário chamou a ministra da mariz o presidente da funai pra conversar com nossa área da 6ª câmara para tentar marcar o término da sexta câmara estava lá para tentar nesse diálogo influir nas políticas públicas esse é o primeiro passo da democracia um governo se elegeu temos que respeitar esse governo tem que defender nossa terra como é que se faz isso parabéns amigo e prefeito isso eu sempre brinco e vai-vai a brincadeira vai pro meu presidente fábio jorge que ninguém senta impunemente quatro anos na na cadeira de presidente da rbr pretendo seu procurador geral da recuperação da casa o diálogo e da recuperação do papel político do ministério público federal tem capacidade tem história pra isso peço que meçam não quer apenas pelas palavras com diagnósticos mais pela minha história e por tudo que eu já fiz perante vocês muito obrigado a mensagem final a partir de agora do doutor mário gonzaga colegas do rio de janeiro colegas que nos acompanham presencialmente aqui na terra e dois colegas nos acompanham pela internet estamos chegando ao fim de mais um debate e refletindo sobre tudo foi discutido aqui e também dos debates anteriores vemos que o mpf no exercício da sua atividade constitucional tem funções relevantes para a sociedade brasileira tanto no combate à criminalidade e eu destacaria a nossa necessidade de priorizar e focar no combate à macrocriminalidade a corrupção sistêmica as grandes casos de sonegação fiscal os crimes cibernéticos nós temos uma demanda reprimida muito forte no campo da tutela coletiva e temos que investir recursos também aí temos que levar para essas tatu tutela coletiva a experiência exitosa das forças tarefas bem e devidamente estruturadas nós temos é missão relevantíssima ano campo da proteção dos direitos humanos por meio é especialmente da pfdc mas não exclusivamente todos os membros do ministério público tem naturalmente que está comprometidos com a proteção dos direitos humanos enfim uma instituição com tamanha relevância para a sociedade precisa corresponder ao investimento a confiança é nela depositada nós temos que avançar o procurador geral da república tem um papel fundamental é dentre outros e seu coordenador geral das atividades do mpf está na lei complementar é de 49 é preciso desenvolver essa função é com a maior desenvoltura propiciar para que os membros os procuradores da república os procuradores regionais da república o subprocurador-geral da república possa exercer da maneira mais completa as os seus ofícios e iguais é mas hoje nossa instituição está em parte paralisada em um momento de crise em um momento de design avião de falta de diálogo interno em um momento de falta é enorme de transparência enfim nós temos que virar a página com este processo sucessório nós temos que fazer avançar o ministério público federal em busca de um clima de maior com união um clima de respeito à igualdade de tratamento entre os membros nós temos que tratar todos sem qualquer discriminação nós temos que ignorar alinhamento os políticos anteriores nós temos que estender a mão a todos que queiram reconstruir fazer avançar a dinamizar o ministério público federal para que a sociedade possa encontrar nele se reconhecendo o ministério federal com uma instituição plenamente a serviço do interesse público em defesa do interesse da sociedade quanto com o seu apoio para figurar na lista tríplice nesta eleição muito obrigado a mensagem final na sequência do doblô da lua parabéns querido fab para a condição obrigado a todos que estão aqui r 2 pois pr uma satisfação ver vocês aqui vendo vocês aqui cada rosto cada cada sonho que irradia dos seus olhos' eu tenho certeza é do que me fez chegar até aqui não são não é o meu conhecimento não a minha história é realmente uma história que eu tenho no meu estado mato grosso do sul nos cargos de gestão que o cupê e nos cargos que eu passei também atuando em atividade finalística do eu tenho muita identidade com o rio de janeiro esse rio quase destruído nós temos marcelo freire né 227 proposições e marcelo para tentar resolver os problemas do nosso rio de janeiro difícil não é fácil nós vamos ter que ter muita união e pgr vai ter que ajudar muito para o rio de janeiro voltará a ser o que era inclusive capital federal então é o conhecimento de vocês que eu espero se vocês confiaram em mim procurador-geral vocês tenham certeza disso eles vão trabalhar muito eu vou também mas a liderança você arrastar por exemplos com exemplos inclusive de austeridade de cuidar das nossas finanças que não estão fáceis de trazer mais recursos como dito aqui com fundos aumentar o nosso teto e seta com a habilidade com tranquilidade com conhecimento e com humildade nós estamos precisando eu acho de um pgr assim que tenha essa liderança focada e vocês ministério público federal forte volta a dizer nós precisamos de um super mpf não tem vez mais com super pgr essa minha política sempre sempre trabalhei assim e sempre pessoas realizadas acreditando em si e fazendo muito pela instituição deu certo e vários lugares eu acho que dá muito certo que esses super time que nós temos nós temos condições de fazer isso é o ministério público federal que eu sonhei que eu anseio todos sabemos o que nós estamos precisando precisamos de pessoas qualificadas só que essas pessoas qualificadas precisa ser felizes essas pessoas serem felizes elas têm que saber aonde elas trabalham o que a instituição representa para elas o que tem de reconhecimento nós não pertencemos a uma instituição que não reconhece o nosso trabalho que não vê em cada um de nós a possibilidade nós fazemos de é de cada um de nós ser um pouquinho pgr é um pouquinho de cada ato do pgr nós quando o pgr e rat e erra nós sentimos uma dor e tentar ajudar ele a levantar e seguir em frente e quando o pgr acertar nós temos condições de comemorar um gol do time é o do ministério federal é o pgr que o que eu vejo passeio já em 24 ué 24 unidades nos últimos 32 dias úteis e não foi passeio não foi trabalho estou com esse rosto é é cansado a minha voz está gaguejando até mais do que normal não é por acaso de tanto ouvir angústias e aflições sonhos expectativas nós temos muita responsabilidade mistério federal não é brincadeira não nós todos aqui e respeito muito o nosso país admira a coragem mas nós temos que ter isso mesmo estar com federal exige sun momento exige isso eu quero realmente fazer civil de brasília para o rio não fala o rio está cheio de de violência que se o que é que você vai fazer no rio conhecer o rio e se eu voltar a brasília vocês estejam certos de brasília nós vamos melhorar muito rio melhorar muito o é é esse país e vamos ser procuradores da república e sua essência obrigado a todos uma um ótimo final de dia mensagem final do doutor paulo bueno vão colegas eu acho que eu queria também parabenizar a associação após o show do fábio esse talvez tenha sido o melhor dos debates até agora foram discutidos os temas mais relevantes para a instituição eu coloco coloquei meu nome à disposição dos colegas aí eu estou me dispondo a ser o próximo procurador geral da república porque porque eu acho que o país vive um momento extremamente grave eu acho que eu já falei isso aqui né eu acho que nós momento realmente a nossa história é que as pessoas combatendo as cabeças as pessoas não estão conseguindo raciocinar direito não estão vendo é essa questão da internet esse negócio de feitos de osso fake news essas peças manadas digitais isso é terrível as pessoas perderam o espírito crítico eu acho que aí que a gente trate de equilíbrio precisa de maturidade coisa de bom senso fazer alguma coisa levávamos assim voltou o espírito crítico no brasileiro como fazer isso vamos ouvir já ouvi muita gente é e imagino uma procuradoria geral da república portas abertas imagina uma pr é com diálogo constante com a primeira instância com a segunda instância é com os servidores nós temos um quadro muito qualificado de servidores e membros da nossa opção de uma relação uma boa relação com a imprensa nós precisamos enfim a minha minha história com um de 37 anos de ministério público me autoriza a a ver certas coisas a relembrar certas coisas eu atuei muito na área criminal na primeira instância eu não sei milhares de pessoas e tupi o primeiro que peguei a prisão do nice na raça e se esse debate que nós estamos fazendo para faz me lembrar certas coisas são os fatos uma vez eu denunciei a diretoria toda de um determinado banco aí pro crime contra a organização do trabalho voltar atrás no que estava fazendo quer dizer o trabalho é cada o trabalho de cada procurador nesse país é muito relevante no nosso trabalho modifica a vida do pó tem o poder de modificar a vida das pessoas isso a gente tem que ter uma consciência disso e aprofundar realmente nosso trabalho daí fomos assim que o fmi todo e segundo a sic está a coordenar esse trabalho do da pgr com essa política de união com essa política de diálogo não é que eu acho que é muito importante com essa política uma política de transparência e diante disso então que eu estou colocando meu nome tá a atmosfera de vocês todos mensagem final do turno admin áreas ministério público federal a instituição de promoção de direitos recebemos dos constituintes em 88 a missão de defender os direitos de todos os brasileiros e temos de fazê lo com zelo ponderação firmeza e eficiência já disse mais de uma vez que ela mantém nos ensinou que entre as profissões judiciárias a nossa é mais difícil por que não podemos perder a objetividade dos juízes nem a paixão dos advogados este é o nosso desafio no cumprimento da constituição das leis e dos tratados nós somos uma instituição de promoção da justiça e para isso nós devemos nos indignar com a falta dela devemos nos incomodar com a injustiça do dia a dia com o abandono dos indefesos e com 22 10 válidos com a corrupção e com o crime o ministério público é uma instituição que deve abraçar os fracos que devem defender o meio ambiente o meio ambiente que se comemora hoje o seu dia a dia que marca o início da conferência de estocolmo e 72 uma uma questão essencial para o desenvolvimento do país com respeito a ele o respeito à infra-estrutura a lista tríplice está em questão e nós precisamos defendê-la e foi importante ver aqui hoje a defesa desta força tarefa da lava jato e de todas as outras que se unem ao trabalho de luta contra a corrupção em torno de si dessa promoção de uma democracia interna que deveria ser reconhecida pelas leis no brasil pela nossa constituição infelizmente não é o que nós vemos infelizmente a nossa instituição ainda sofre vê ataques internos a lista o que nos enfraquece e nos impossibilita de realizar essas missões que nos foram entregues é preciso que nós tenhamos um pgr que não seja ministro de governo e seja não seja também por outro lado o líder da oposição nós precisamos de alguém que lute para preservar a independência dessa instituição com altivez com respeito ao ato institucional é preciso que os postulantes desta cadeira se submeta ao nosso processo interno é importante que submeter ao escrutínio dos pares ao debate democrático sem lista não há independência sem independência não altivez sem altivez não há ministério público é preciso portanto que neste momento de tantos problemas internos nós possamos caminhar juntos com propostas de eficiência de promoção da eficiência de promoção da união dos nossos poços tanto na tutela coletiva quanto na luta contra a corrupção e especialmente no campo da criminalidade organizada na minha longa caminhada como servidor público 27 anos de servidor público eu aprendi vendo e ouvindo as pessoas que ninguém faz nada sozinho é preciso que nós façamos juntos um novo ministério público federal a mensagem final do doutor josé bonifácio presidente minhas felicitações pela pela organização e eu queria também saudar e comentar todos os colegas estão presentes do que nos assistem tá é o ministério público cada vez mais está consolidando somente o distrito federal está consolidando o seu perfil no contexto da organização do estado brasileiro tá é ter uma participação importante nos fins e nos objetivos do estado por exemplo o estado visa atingir o bem comum eo ministério público é um órgão do estado que exercendo as suas funções simon deve se movimentar na mesma direção quer dizer essas essas prerrogativas e esses encargos constitucionais de garantia a ordem combater a criminalidade é defender os direitos fundamentais à defesa é das minorias vulneráveis são atribuições que o ministério público tem e é o papel dele na constituição só que o ministério público composto de cada um de nós então é preciso que cada um de nós façamos bem aquilo que temos que fazer e aonde estamos e aí é preciso que o profissional saiba valorizar o trabalho de todos daquele que está na linha de frente que está no embate que está na mídia e daquele outro que está fazendo um trabalho silencioso aparentemente apagado e que parece que não conta e conta muito a diferença nós o nosso trabalho é que nós vamos ter duas posições é parecido com o do pedreiro o sujeito chega por um pedreiro e pergunta à escuta o que está fazendo aqui não estou sentando pedra sobre pedra agora você pode chegar pro outro e perguntar que está fazendo aqui ele é o seguinte olha eu estou ajudando a construir uma catedral então isso é um pouco nosso foco de trabalho quer dizer a gente pode estar pensando que eu tento passar no processo tá mas eu posso pensar também o seguinte eu colocando pedra sobre pedra que ajudando a construir uma grande nação é preciso que o procurador geral tenha isso em mente tem que saber que cada um ele tem que estar preocupado com o trabalho de cada um e tem que se ocupar de cada um e tem que ter cada um no seu coração a sua cabeça por outro lado também é preciso que cada um saiba que o procurador geral precisa e necessita do apoio e do suporte de cada um daí a importância também dessa lista quando portugal precisa se apoiar na casa da mesma maneira que cada procurador precisa se apoiar no procurador geral e executando bem o nosso trabalho ajudamos o estado brasileiro a cumprir a sua missão que atingiu bem comum e atingimos e pelo menos realizarmos uma parte de um só importante o nosso que a justiça social para todos os brasileiros mundo lê a mensagem final agora do nível de freitas bom eu já tive oportunidade de falar da minha enorme alegria de estar aqui eu tenho 28 anos de dedicação exclusiva o ministério público federal 23 atuando aqui no rio de janeiro e e em 5 ana e em brasília mas sempre aqui com os meus amigos meus companheiros nem eu entendo assim e essa é a primeira proposta não me candidatar nem que que nós precisamos restabelecer o diálogo diálogo interno diálogo transparente entendeu nós temos que congregar nem esforços nem pra brigar pela nossa unidade nem para batalhar pela promoção dos direitos nem pela justiça e pela nossa independência e eu acho que nós sozinhos em que nível nós não existimos nós somos uma unidade e temos que sempre brigar para mantê la nem o que não é fácil né ô ô ô a missão de procurador-geral da república nela por mas ele é ele só consegue levá-lo a contento na medida em que ele tem o respaldo da casa que consegue conversar com a casa que ele consegue criar consensos nem aqui pra atuação do ministério público federal eu sei que é esse é um momento fundamental na nossa história né e parabeniza que os colegas que estão aqui candidatos presidente da associação eu acho que nós estamos dando um show de democracia e transparência colocando não só pelo ministério público federal mas para toda a sociedade é o que nos anima o que nos preocupa com os nossos objetivos o seu momento e paciente de construção de diálogo de de reflexão sobre as nossas questões fundamentais nem eu é é tenho certeza que seja quem fui com o eleito partindo dali de legitimação que o colégio de procuradores da analista né ô ô ô não estaria muito bem representados nem e eu entendo que eu tenho hoje condições nem é pela toda minha vivência na instituição de está à frente da instituição é de conduzir esse debate de conduzir e e esses caminhos e de criar esses consensos necessários para a defesa da nossa instituição né e tem um ditado eu vou terminar minha fala é evocando um ditado africano que o mesmo que o que eu falei isso lá no debate belém que diz o seguinte é pra você e rápido você vai sozinho mas pra você ir longe você tem que com as pessoas têm que junto então eu conclamo os colegas nem peço apoio peço voto de vocês para que nós possamos e junto longe sempre né em defesa do ministério público em defesa da sociedade que é isso que nos anima eu tenho orgulho de ser procurador da república eu amo a instituição eu agradeço tudo que ela me proporcionou né pela pessoa que ela me plasmou né pelos amigos que me deu pelas vivências pela história por tudo obrigado a mensagem final da cultura luiza cristina frischeisen bom colegas o que me anima a concorrer à procuradoria geral da república é a certeza que o ministério público federal é um órgão de afirmação do sistema acusatório da defesa dos direitos sociais do meio ambiente ecologicamente equilibrado que é pra nós e para as gerações futuras nesse dia do meio ambiente do reconhecimento do dos grupos vulneráveis que estão na constituição a nossa instituição ela deve cumprir o papel constitucional o papel das leis papel dos tratados internacionais ea nossa instituição é lugar de construção da igualdade a gente constrói a igualdade quando a gente promove as ações penais independente de quem é o acusado ea gente constrói a igualdade quando a gente promove as políticas públicas assegurados na constituição pra isso a minha experiência de atuar em rede de 27 anos de ministério público federal em atividade-fim atividade de coordenação é em órgãos colegiados com procuradora da república procurador regional da república para o subprocurador geral e se atuar em rede no ministério público federal é importantíssimo para tudo que a gente tem se discutido construção do diálogo construção da unidade afirmação da nossa independência a nossa instituição ela é promotora de direito é promotora é da ação penal nós somos procuradores da república república implica a defesa do patrimônio público a defesa da constituição a defesa da igualdade quando nós atuamos em rede nós reafirmamos a nossa unidade quando nós atuamos em rede dialogando reafirmamos a nossa independência funcional creio que o momento atual do ministério público federal exige o máximo de diálogo e esse diálogo na escolha da procuradora-geral do procurador geral passa pela lista a lista é a forma de dialogar com o presidente da república com os senadores da república com a sociedade civil é uma forma de prestar contas à sociedade civil é uma forma de publicizar as nossas ações quando aqui dialogamos hoje colocamos as nossas posições afirmamos e reafirmamos o que entendemos do ministério público federal afirmamos para colegas para servidores pensão quando nosso futuro pensando no nosso presente o projeto no nosso futuro e isso é definir a questão federal é definir o ministério público federal ea lista é melhor forma então espero que vocês é tem o sentido mais uma vez apresentados às nossas propostas que venham na na consulta é no dia da consulta porque é importante um corte elevado e que todos nós possamos expressar a nossa opinião levando essa é sua opinião esse diálogo o presidente da república e conto com o voto de vocês de cada um de cada uma aqui e dos que nos assiste nos ouvem muito obrigada a mensagem final do doutor lauro cardoso boa tarde a todos é um prazer estar aqui no rio de janeiro a cidade que eu e minha esposa iniciando na nossa jornada como casados a jovem aqui no rio de janeiro e temos a família maravilhosa até hoje é inicialmente gostaria de cumprimentar o fábio george pela luta histórica assim como toda a diretoria da associação da formação da lista tríplice pela essa formação da lista tríplice para ocupar o cargo de procurador-geral da república e parece que a lista tríplice é um consenso na carreira que qualifica legítima e garante a o exercício da efetiva independência do cargo de procurador-geral da república perante os poderes perante a sociedade e trata de um valor a ser reafirmado todas as oportunidades pelos menos no tempo federal é nós temos um programa várias propostas apresentadas em sites nossas redes sociais em e mails e me parece que esse tempo seria muito exíguo pra entrar detalhamento mas que eu queria falar do ministério federal seria um estado confederal que imagino o que o procurador geral da república pode fazer imagino o ministério público federal em que sejamos firmes na proteção dos direitos fundamentais sejamos firmes na atuação criminal na proteção desses direitos sejamos firmes na definição nossas políticas de atuação e não sigamos mas o judiciário na sua forma de organizar nós temos que trazer uma nova organização ministério público federal precisa ser protagonista definir suas políticas de atuação é criar condições para que cada procurador já que cada procurador da república exerça suas funções ou seja toda nosso propósito com o procurador geral é fazer com que as estruturas de investigação a estrutura de perícia tudo que fazemos em favor da instituição chega na ponta para cada um dos procuradores da república porque o ministério público federal como disseram os colegas ele é muito mais forte e unido então o ministério federal ele representa o trabalho somatório de trabalho de cada procurador da república em seu município essa é a cara do ministério público federal que eu imagino nós temos que resgatar a nossa união nós temos que resgatar o nosso ânimo de trabalhar nós temos que resgatar a essência do ministério público federal de atuar independente de ser um procurador da república garrido e e parece que o procurador-geral da república ele tem que promover essa cara do ministério público federal e ele vai fazer isso como criando as condições administrativas buscando é promover toda a gestão a logística que seja possível sair dessa crise fiscal mas mais do que isso ele tem que representar a cada um dos procuradores da república então nesse propósito é que me coloco candidato ao cargo de procurador-geral da república obrigado colegas senhores e senhoras 2 duas horas e 50 minutos de debate é o quarto debate de 11 faremos o quinto em porto alegre dia 14 faremos o sexto em brasília alguns podem dizer democracia câncer democracia custo nós dizemos vale cada centavo aplicado vala vale cada minuto a ela dedicado se ser um dos maiores jogadores da história na falta de outras tudo isso é te dizia a gratidão não é só a maior das virtudes como aquela que pode ser a mãe de todas as outras é hora de seguir o que dizia sítios em tantas outras qualidades costuma observar sempre s agradeceu inicialmente aos candidatos e à candidata que vieram a procuradoria regional da república no rio de janeiro com transparência mostrando a sua cara dizendo seus projetos as suas ideias para que esse debate realmente possa ser feito assim e não na obscuridade dos gabinetes reservados da capital do nosso país agradecer na pessoa da doutora márcia morgado do doutor flávio paixão não poderia citar o nome de todos os colegas porque iria esquecer os saúde na pessoa da nossa anfitriã do nosso diretor pela receptividade pelo acolhimento por ter proporcionado a em pé ea realização desse debate agradecer a todos os funcionários da império e aos servidores da procuradoria regional da república que proporcionarão mais esse momento único de fortalecimento da nossa democracia agradecer aos colegas que nos acompanham pelas redes sociais nos outros três debates o presidente da anpr de improviso fez uma menção final em defesa da lista tríplice hoje vou permitir não fazê lo mas sim a leitura da nota divulgada no dia de hoje pela força tarefa da lava jato no paraná em são paulo no rio de janeiro e pelos colegas que compõem duas outras importantes forças tarefas do país no combate à corrupção a green field ea zelotes os colegas destaca a importância da lista tríplice na escolha do novo procurador geral da república em nota procuradores reforçam a relevância do processo para promover a independência de atuação no cargo considerando que está se desenvolvendo relevante processo de debates públicos para a formação da lista tríplice para o cargo de procurador-geral da república considerando que se trata de cargo chave para que a atuação contra a corrupção possa ser mantida e aprimorada os procuradores que compõem as forças tarefas da lava jato e da greenfield israel lotes vem a público defender a importância de que a escolha pelo presidente da república seja feita a partir da lista que será formada neste mês de junho particularmente no dia 18 de junho pelas seguintes razões e tem um a lista tríplice qualifica a escolha do presidente da república apresentando se como opções integrantes da instituição console da história institucional e qualidades técnicas pretéritas provados e aprovadas por procuradores e procuradores que conhecem acompanho há muito tempo sua atuação pública inclusive recente e tem dois o processo de formação da lista tríplice deve ser renovado a cada dois anos para que possa ocorrer uma análise ampla de posições visões e histórico de gestão dos candidatos e em face das necessidades atuais do país sujeitando se a crítica pública o que é uma importante forma democrática de controle social em debates abertos realizados nas cinco em cinco regiões do nosso país e tem 3 a lista tríplice necessária inclusive eventuais reconduções tende a promover a independência na atuação do procurador da procuradoria geral em relação aos demais poderes da república é evitando nomeações que restrinjam ou asfixiem investigações e processos que envolvam interesses poderosos uma vez que o procurador geral da república tem por exemplo ampla influência sobre o devido e necessário encaminhamento de colaborações premiadas e inquéritos que investigam autoridades com foro especial por prerrogativa de função e tem quatro por todas essas razões a lista tríplice consagrou com o mandamento nos ministérios públicos dos estados e com um costume constitucional no âmbito federal só a lista tríplice garante a legitimidade interna é essencial para que o procurador-geral da república possa liderar com plena capacidade os procuradores na direção do cumprimento nos fins da instituição inclusive em sua atividade anti corrupção com essas palavras eu agradeço a presença de todos os que acompanharam o debate presencialmente pelas redes sociais e queria finalizar dizendo viva a democracia viva o ministério público federal viva a nação brasileira galera o tesouro vendeu mais complexa

Loading